Aqaba – o lado mais suave da Jordânia

Vista do nosso hotel. Ao fundo o Mar Vermelho e depois Israel.
Vista do nosso hotel. Ao fundo o Mar Vermelho e depois Israel.

Em Petra contratamos um táxi para ir até Aqaba. Finalmente deu tudo certo, preço combinado, preço pago. O problema é que em Petra a internet do hotel era horrível e não conseguimos fazer nossa tarefa: procurar hotel em Aqaba bom e barato. Acabamos numa espelunca e bem um dia antes do Eid um feriado que acontece 45 dias depois do Ramadã e que é a melhor época para ir para Meca. Três dias de feriado aqui é igual a São Paulo. A noite anterior ao feriado tinha trio elétrico do rei, muita gente nas ruas e festa e chamados da mesquita (em frente ao hotel) que são às 05h50min da manhã. Foi difícil dormir. Eu já acostumei a acordar com o chamado e dormir novamente porque estamos treinando desde a Turquia. Mas aí quando acabou o chamado veio um caminhão enorme para colocar essas sombrinhas para o feriado. O Eid é como se fosse o Natal para nós. Eles se reúnem em família, pedem perdão do que passou e prometem melhorar e tam´bem é a data para ir para Meca.

A cidade é pequena, perto do Mar Vermelho, fazendo fronteira com o Egito, Israel e Arábia Saudita. De carro você chega até Israel ou a Arábia e de ferry até o Egito. O turismo está em baixa pelos problemas com a Síria que faz fronteira. É igual a Manaus, zona franca. Então o povo adora vir aqui fazer compras de perfumes, bebidas (único lugar onde vi vendendo) e eletrônicos. Aqui as únicas mulheres que vi sem lenço ou burca eram turistas. Também vi uma coisa que a gente só vê na televisão: as mulheres entrando de burca e sapato no mar para se banhar. Nas praias perto da cidade biquíni é proibido. Turistas só podem entrar na água de camiseta e short. Já as locais só de burca. As lojas ficam abertas até muito tarde e o fluxo de mulheres nas compras é enorme. Todas muito cobertas, mas os olhos sempre bem maquiados.  O centro antigo cheira a café com cardamomo. É uma delícia. Tem muitas lojas de temperos e castanhas variadas. A taxa aqui é de 7% contra 16% de Amã. Pela primeira vez no mundo árabe vi esfirra e quibe como a gente tem no Brasil. Mas eles comem também no café da manhã junto com homus, tomate e pepino (ai senhor!). Continuo sem ver pão preto ou com grãos.

O meu propósito era mergulhar no Mar Vermelho. Aqaba tem praias com corais e o mergulho é famoso. Eu fui mergulhar e o Carlos fazer snorkel. Escolhemos um centro de mergulho muito bom (que está nas informações), pequeno, personalizado. Ficamos na praia até às três da tarde. A quantidade de peixes é enorme. Vi moreias, peixes variados, ouriços e até uma cobrinha do mar. Pena que a câmera não é a prova d´água.

De Aqaba voltamos para Amã de ônibus normal. 327 kms e a passagem custou 24 reais. Ar condicionado e rodomoça mas se quiser algo tem que pagar. Todos esses kms e a paisagem só deserto. Nenhuma plantinha, poucos vilarejos e deserto, muito deserto. Não vi nenhum pedágio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s