Jaisalmer – o safari no deserto

Indo para o deserto ver o por do sol em camelo
Indo para o deserto ver o por do sol em camelo

Outra alvorada, um café da manhã diferente com várias comidas indianas: chapati (pão de lentilhas e arroz sem fermento e apimentado), purê de vegetais a moda do sul da Índia, thai (chá com leite e masala que eles despejam bem de longe para fazer espuma e esfriar), feijão com tomate. Adoramos, experimentei tudo. Agora serão seis horas de estrada até chegar. A estrada passa pelo meio do deserto, a paisagem é seca, a estrada é boa. Não tem muitos buracos e deu até para escrever o blog. De vez em quando um rebanho de cabras atravessa a estrada ou um ônibus para no meio dela. Vacas sempre presentes. Visitar o Rajastão é isso: muito deserto, cidades pequenas e típicas e muitas horas na estrada. Agora serão 330 km e 6 horas de viagem.

Cabras na pista
Cabras na pista

Jaisalmer é outra cidade pequena do Rajastão com tudo o que é característico. Forte, cidade velha cheia de motos, riquixás, lojinhas e vacas, havelis maravilhosos e gente. Muitas construções no estilo mongol (porque a região foi dominada durante longos anos pelos descendentes de Genghis Khan) que deixa tudo muito gracioso.
Primeira parada Gadi Sagar que é um lago e, um dia, foi a reserva de água da cidade. Ao redor dele existem templos, santuários e Tilon-ki-Pol que é uma passagem que dizem foi construída por uma prostituta, contra a vontade do marajá. Tudo feito em pedra amarela que parece ser de grande abundância na região.

Gadi Sagar – o lago
Gadi Sagar – o lago

O forte domina a cidade. De qualquer lugar que você estiver é possível vê-lo. Dentro várias ruas estreitas, esgotos céu aberto, lojinhas e vários havelis não obrigatórios, mas muito bonitos e com desenhos intrincados. O forte fica dentro da cidade velha e 25% da população ainda mora lá. Está correndo sério risco de desaparecer por causa disso.

Forte visto do caminho do nosso hotel até a cidade velha
Forte visto do caminho do nosso hotel até a cidade velha

Dentro também tem um palácio maravilhoso, Maharaja Palace, de sete andares, que virou museu. Fica em frente a uma praça onde eram recebidos os dignitários estrangeiros e danças aconteciam

Maharaja Palace, agora um museu.
Maharaja Palace, agora um museu.

Além disso, fica um complexo de sete templos jainistas. Como os jainistas tem profetas, cada templo é para um profeta. Como deveríamos pagar para entrar e pela câmera e já estamos com fadiga de templo, deixamos para a próxima.

Então fomos conhecer a cidade velha. Um intrincado de ruas, também com esgoto a céu aberto e vários havelis. Primeiro almoçar:

Depois os havelis. Na verdade a cidade velha inteira é cheia de havelis, mas existem três mais importantes que fotografamos.

E em Jaisalmer acontecem os safaris de camelo. Você vai até perto do deserto, ficam em cabanas primitivas, sai às 16h00min horas, anda uma hora em camelo até chegar às dunas, vê o por do sol e volta ainda a camelo. Claro que todos têm seu condutor. Ai tem um show de música e dança local, um jantar típico e todos vão dormir no deserto para ver as estrelas e assistir ao nascer do sol. É uma experiência única e muito diferente. Adoramos.

Fotos curiosas

Como tivemos um pouco mais de tempo em Jaisalmer, fomos conhecer coisas fora do roteiro turístico. Primeiro uma cidade abandonada há duzentos anos. São casas e mais casas e templos, construídos em pedra amarela, sem teto. Ninguém sabe o motivo do abandono e elas são construídas da mesma forma que Machu Pichu: pedra sobre pedra sem cimento, cantos de 90 graus perfeitos e perfeitamente alinhadas. Chama-se Kuldhara Village. Não é um ponto obrigatório, mas é interessante. Não chega a ser bonita e tem que pagar para entrar.

Nós em frente ao templo da cidade abandonada
Nós em frente ao templo da cidade abandonada

Depois fomos para um memorial chamado Bada Bagh – são chamados cenotáfios que são apenas memoriais para os reis. Os corpos estão enterrados em outros lugares. Cada cenotáfio é para um rei e o mais antigo é de 1506. Essa tradição acabou apenas em 1947 e também fomos ver Vyas Chhatri que também um memorial mas construídos no local onde o corpo de pessoas ricas e importantes foram i cremados. São lindos. O estilo é muito bonito porque mistura indiano com mongol.

Anúncios

2 comentários sobre “Jaisalmer – o safari no deserto

  1. Anônimo

    Beto, que legal heim … lugares muito diferentes mesmo.
    Pergunta: vc tem atualizado a planilha de custos e a gente consegue ver no blog?

    1. vcteixeira

      Bom dia Enio, que bom que você está gostando. Nossas planilhas estão na aba Informações / Gastos. O que é passado já está lá atualizado. Na Índia, vou atualizando aos poucos. Hoje está atualizada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s