Bodhgaya – um mundo budista

11º. Jonang Monlam Chenmo – rezando pela paz mundial
11º. Jonang Monlam Chenmo – rezando pela paz mundial

Madrugamos porque o trem era às 05h15min, um frio nojento, riquixá que havíamos programado já atrasado. Ligamos para ele que apareceu em 10 minutos, fez em 20 minutos até a ferroviária e lá ficamos três horas esperando um trem atrasado. A viagem de cinco horas foi tranquila, já estou até tomando chá dentro do trem, como companhia tivemos dois turistas do Japão muito simpáticos, a menina muito simpática e risonha até arranhava português. Conversaram um pouco e dormiram a viagem toda. Tivemos que acordá-los para não perderem a descida. Foi a primeira vez que viajamos de Sleeper class (segundona geral do Corinthians).  Têm pedintes, invasores, travestis, aqui chamados de hijras,  pedindo dinheiro, maloqueiros. Lixo por todo o lado. Lixo é obvio porque não tem latas de lixo em lugar nenhum. Juntei meu lixinho, achei o responsável pelo vagão e perguntei onde jogar. Ele apontou a janela do trem. Fiquei em choque e quase perdi o trem porque decidi jogar o lixo na estação (que tem lata). Chegamos a Gaya, pegamos um auto riquixá e fomos para BodhGaya que é 20 kms de Gaya. Procurar hotel, se estabelecer e sair para conhecer a cidade.

Observe a balança da senhora que nos vendeu mexericas.
Observe a balança da senhora que nos vendeu mexericas.
Começam de pequeninos
Começam de pequeninos
Para onde você olha tem um monge ou uma monja
Para onde você olha tem um monge ou uma monja
Ou vários castigando o pobre do pedalador de riquixá
Ou vários castigando o pobre do pedalador de riquixá
E as marmitas dos monges, dos indianos e de todos.  Cada potinho contém um vegetal ao molho ou um pão
E as marmitas dos monges, dos indianos e de todos. Cada potinho contém um vegetal ao molho ou um pão

Vinte e seis séculos atrás, aqui em BodhGaya, o príncipe Siddhartha Gautama atingiu a iluminação e teve respostas para as questões que tinha embaixo de uma árvore chamada bodhi, fícus religiosa, e aí tornou-se Buda. É um dos lugares sagrados para os budistas e peregrinos do mundo inteiro são atraídos à cidade por isso. Existem monastérios e templos espalhados por toda a cidade. Cada comunidade budista internacional constrói seu templo e atrai e recebe os peregrinos do seu país e de outros para estudar, meditar e absorver o ambiente. BodhGaya não parece ser uma cidade mas um centro budista rodeado por vilas e com tudo o que os turistas precisam: riquixás, bons hotéis e restaurantes e lojas de souvenires. Fiquei encantada com o mercado dos refugiados tibetanos onde vi cobertores de lã de iaque tão fofinhos que quase comprei. Para nossa sorte chegamos aqui em Janeiro que é quando os peregrinos chegam para os pujas (é o ato de mostrar reverência a um deus, um espírito, ou outro aspecto do divino através de invocações, orações, cânticos e rituais) que duram alguns dias ou semanas e para os festivais. É um mar de monges e monjas todos vestidos em vinho. Para nosso azar esse ano o Dalai Lama não veio. Seria uma honra. No entanto, conheci várias pessoas de lugares que só vi no Discovery: Butão, Burma, Sikkim, Nepal. Todos monges e monjas e todos muito simpáticos. Sempre cumprimentam com Namaste e sempre sorridentes e a maioria de olhinhos puxados.
Primeira parada e mais importante: Mahabodhi Temple que marca o lugar onde Buda formulou sua filosofia de vida.

Um templo lindo e sereno marca o lugar da árvore onde Buda se iluminou
Um templo lindo e sereno marca o lugar da árvore onde Buda se iluminou
Mahabodhi Temple foi construído no sexto século AD com uma pirâmide de 50 metros
Mahabodhi Temple foi construído no sexto século AD com uma pirâmide de 50 metros
Dentro do templo uma estátua de dois metros de Buda sentado
Dentro do templo uma estátua de dois metros de Buda sentado
Mahabodhi Temple onde os peregrinos deixam flores e oferendas
Mahabodhi Temple onde os peregrinos deixam flores e oferendas
Oferendas e arranjos maravilhosos
Oferendas e arranjos maravilhosos
O templo é um complexo de caminhos, jardins, santuários, stupas votivas e um parque de meditação
O templo é um complexo de caminhos, jardins, santuários, stupas votivas e um parque de meditação
E em todos os lugares tem oferendas. Água sempre presente
E em todos os lugares tem oferendas. Água sempre presente
Olhem que paciência budista fazer uma oferenda dessas
Olhem que paciência budista fazer uma oferenda dessas
Oferendas de flores. Essas são flores de lótus. Peregrinos do mundo todo vêm até aqui para meditar ou admirar
Oferendas de flores. Essas são flores de lótus. Peregrinos do mundo todo vêm até aqui para meditar ou admirar
Monges rezando pela paz mundial num evento que acontece todos os anos
Monges rezando pela paz mundial num evento que acontece todos os anos
Descendente da árvore original
Descendente da árvore original
A árvore original foi destruída pela esposa de Ashoka o imperador que aceitou o budismo e passou a meditar muito em frente da arvore
A árvore original foi destruída pela esposa de Ashoka o imperador que aceitou o budismo e passou a meditar muito em frente da árvore
Mas sua filha levou uma amostra para o SriLanka e de lá trouxe um pedaço para plantar em BodhGaya no mesmo lugar onde estava a original
Mas sua filha levou uma amostra para o SriLanka e de lá trouxe um pedaço para plantar em BodhGaya no mesmo lugar onde estava a original
Muchalinda Lake, um lago de lótus com bandeiras de preces. Conta a lenda que Buda meditou aqui e foi protegido de uma tempestade violenta pela cobra do lago
Muchalinda Lake, um lago de lótus com bandeiras de preces. Conta a lenda que Buda meditou aqui e foi protegido de uma tempestade violenta pela cobra do lago
Casa das lâmpadas de manteiga. Também oferendas. Os peregrinos trazem óleo ou manteiga que mantém as velas acesas
Casa das lâmpadas de manteiga. Também oferendas. Os peregrinos trazem óleo ou manteiga que mantém as velas acesas

Segunda parada: A grande estátua de Buda.

A estátua mede 25 metros e é oca. Correm lendas que contém 20.000 Budas de bronze
A estátua mede 25 metros e é oca. Correm lendas que contém 20.000 Budas de bronze
Foi inaugurada pelo Dalai Lama em 1989 e é cercada por esculturas de 10 discípulos
Foi inaugurada pelo Dalai Lama em 1989 e é cercada por esculturas de 10 discípulos

E por ultimo e diariamente visitamos todos os templos e monastérios. Todos os países com grandes comunidades budistas têm um monastério e um templo aqui. Sempre uma área grande, limpa, ajardinada, templo na frente e monastério rodeando. Os monastérios aceitam budistas do mundo todo, cobrando US$ 2 por dia por quarto e alimentação desde que a pessoa aceite participar da meditação e cânticos diários. Todos os templos são lindos e tem características do seu país de origem. Em alguns chegamos na hora dos cânticos e das rezas e é lindo. Tem tambores, cornetas, incenso e muitos monges fazendo os cânticos.

E em BodhGaya perdemos a compostura por completo. Observe onde andamos almoçando todos os dias.

Restaurante na tenda. Comida boa e farta. Preços ótimos
Restaurante na tenda. Comida boa e farta. Preços ótimos
E comida indiana: pakora de espinafre com queijo
E comida indiana: pakora de espinafre com queijo
Dentro do Mohammad
Dentro do Mohammad

Perrengue Um: Chegamos a BodhGaya durante o dia e fomos fazer shopping de hotéis. Encontramos um bem razoável com preço idem. Colocamos a bagagem no quarto e estamos abrindo tudo quando o Carlos vê passar um rato. Pequeno mas rato mesmo. Decidi que não ficaríamos, chamamos o recepcionista para explicar e ele me diz: Isso é comum na Índia. Eu respondi que não me importa que seja comum eu não gosto de ratos e nem a OMS. Ele disse que os budistas não reclamam porque os ratos são seres viventes também. Ai meu senhor. Nesse momento passou outro ratinho correndo. Ele nos levou dois andares para cima e conseguiu convencer o Carlos que ratos não sobem escadas e vários andares acima não teríamos problemas. Ficamos quatro dias e não vi mais ratos mais dormia com as malas fechadas e a comida lacrada.
Perrengue Dois: Trem atrasado três horas, na plataforma não tem o placar dos trens então temos que ir constantemente até a estação para ver o placar. Na estação têm ratos grandes, vacas passeando, macacos e um dormitório. Cada centímetro do chão está coberto por pessoas dormindo. Como a gente não espera encontrar bosta de vaca dentro de uma estação eu pisei na própria desviando de alguns indianos dormindo no chão. E fresquinha. Por sorte nas estações tem água corrente e pude lavar o tênis. Mas vai fazer isso às 6 da manhã, no frio e com sono. Pelo menos não escorreguei e cai de bunda.

3 comentários sobre “Bodhgaya – um mundo budista

  1. Flavitias@yahoo.com.br

    Tudo o que eu mais fiz foi pisar no coco da vaca, inclusive de meias, rs. Não fui a bodhgaya, adorei essa comida com espinafre, vou procurar aqui em delhi

    1. vcteixeira

      Morri de rir. Realmente é preciso muito cuidado para evitar as vacas, os riquixás, os macacos e principalmente os “feitos das vacas”. Mas ainda assim não pisei de meias nenhuma vez mas o esposo já caiu com a mão bem na m. Ou seja, cada um tem seu perrengue. Boa sorte em Délhi. Se não achar a pakora vá direto para o KFC e coma um super sanduba de frango. Abraços.

  2. Wilde A Campos

    Depois das tristezas e da sujeira absoluta do Ganges, ver essa beleza que é o Templo da Árvore, – a estrutura é diferente e linda – as oferendas de flores e aquela magnífica oferenda de águas, penso que é quase como chegar ao paraíso, em meio a paz das orações e cânticos de tantos monges. Os perrengues foram impagáveis, pq não foram comigo, claro. Mas já imaginou se, ao invés de um lugarzinho no chão, a vaca acertasse a cabeça de algum indiano dorminhoco?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s