Bangkok – na Terra dos Sorrisos

Grand Palace
Grand Palace

Todos dizem que viajar pela Índia é a pós-graduação do mochileiro e pela China é o mestrado (porque na China nem inglês falam). Quando chegamos aqui percebi que é verdade. A Tailândia ficou super fácil. Tem metro do aeroporto até o centro (e que metro). Chama-se skytrain porque vai pelo ar e você vai vendo Bangkok. Têm shoppings, lojinhas, todos os fast foods famosos, carne, é limpa, organizada e sem aquele assédio exagerado ou aquele povo olhando para você o tempo todo e pedindo para tirar fotos. Estamos em um Brasil algumas vezes mais caro e a maioria das vezes mais barato, as pessoas são bonitas e arrumadas. É claro que os gastos também aumentaram. Pagávamos US$ 26 num hotel na Índia. Agora estamos pagando US$ 50.
Viemos num voo da Cathay Pacific, companhia de Hong Kong, muito tranquilo e pouco cheio. Chegamos na hora do almoço, tomamos o skytrain paramos no bairro que escolhemos para procurar hotel: Sukhumvit. O lugar mais famoso para os turistas, por ser perto das atrações, é Khao San Road, mas para lá não tem nem metro e nem skytraine é uma rua que não para, barulho e gente 24 horas. Os ônibus são bons, mas o trânsito é terrível. Decidimos em algum lugar com acesso fácil porque teríamos que ir até a embaixada do Vietnã pegar o visto, até a Oficina de Turismo e até a rodoviária para comprar a passagem para a praia. Almoçamos no McDonald´s (carne novamente) e eu fiquei esperando enquanto o Carlos foi procurar hotel.

Achou, voltou e fomos para o hotel. Como não dormimos essa noite e ainda tem uma hora e meia de fusoa mais, tiramos aquele cochilo e saímos para conhecer o bairro. Que surpresa, estamos no bairro, não, na rua da prostituição de Bangkok: Soi 4. Primeiro notamos as meninas lindas, todas magrinhas, novinhas e de shortinho, muito maquiadas e arrumadas. Depois notamos que no bairro só tinha turista homens de meia idade para mais, sozinhos ou já com uma menina (40 anos mais nova) pendurada. É como em Amsterdam, não tem a conotação de zona de meretrício igual ao Brasil. Ao nosso redor tem hotéis finíssimos: Marriot, Ibis, Sheraton. Ai o Carlos entendeu porque quando foi procurar hotel eles perguntavam se ele queria por dia ou por hora. Nosso hotel é bom e limpo. Vive cheio de garotas de programa lindas e coroas hospedados. Tenho a impressão que são todos russos ou europeus e não de muito alto nível. Sempre soube que a Tailândia era destino para turismo sexual, no entanto foi interessante ver de perto.

Como eu cheguei a Bangkok já com a dengue não conseguimos fazer muita coisa. Depois das praias voltaremos para Bangkok e esse post continua. Por hora apenas o que conseguimos fazer nos dias de dengue.
Bangkok é uma das cidades mais entusiasmantes do mundo e é conhecida como Krungthep -a Cidade dos Anjos. Sede do governo há mais de duzentos anos, é a reconstrução da antiga capital Ayutthaya.
Hoje Bangkok é uma metrópole fascinante com seis milhões de habitantes com duas partes fascinantes: a cidade velha com os palácios e templos do século XVIII e a cidade moderna com os seus centros comerciais e as zonas de desenvolvimento banhadas pelo rio. Aqui se pode visitar as belezas monumentais da cidade, relaxar em algum parque ou também aventurar-se na vida noturna e nas lojas e mercados para fazer compras. Definida no passado como a “Terra dos Livres”, nos últimos anos, a Tailândia conquistou a reputação mundial de “Terra do Sorriso”, graças à filosofia e ao espírito acolhedor dos seus 60 milhões de habitantes. E é verdade.
Dormimos e no dia seguinte partimos para a grande atração turística de Bangkok: o Grand Palace. É um lugar obrigatório para ir e leva um dia inteiro porque é enorme. É um lugar em que a gente só faz OHHHHH

O Grand Palace é um complexo enorme construído em arquitetura tradicional Thai com alguns desenhos europeus.
O Grand Palace é um complexo enorme construído em arquitetura tradicional Thai com alguns desenhos europeus.
O complexo também é o eixo espiritual do budismo thai e da monarquia
O complexo também é o eixo espiritual do budismo thai e da monarquia
Phra Si Rattana Chedi é uma estupa do século 19 que guarda as cinzas de Buda. Estilo do Sri Lanka
Phra Si Rattana Chedi é uma estupa do século 19 que guarda as cinzas de Buda. Estilo do Sri Lanka
Atrás dos muros esculpidos ficam o Phra Maha Monthien, um complexo de edifícios ainda usados e fechados ao público.
Atrás dos muros esculpidos ficam o Phra Maha Monthien, um complexo de edifícios ainda usados e fechados ao público.
Eu também aproveitei para usar a água da flor de lótus que está em frente ao templo
Eu também aproveitei para usar a água da flor de lótus que está em frente ao templo

No dia seguinte fomos apenas andar pela rua mais famosa para os mochileiros: Khao San Road, andar a esmo. O reino da Tailândia é predominantemente budista e é um dos países mais finos do mundo para ir de férias. O clima é maravilhoso e tudo é fácil e funciona. Como o país nunca foi invadido ou conquistado pode manter sua cultura sem problemas. É um povo alegre e feliz e muito educado. É uma monarquia constitucional com primeiro ministro, senado e judiciário. E observando como tudo é bom e organizado até penso que ser monarquia não é ruim.

No outro dia tínhamos que ir para a praia de ônibus então fomos andar no conjunto de shopping mais chic e famoso de Bangkok e da Tailândia. Um paraíso do consumo, uma praça de alimentação insuperável e lojas de grandes marcas: Siam Paragon.

E então ônibus para Krabi, sul da Tailândia um lugar que estamos amando de paixão. Gente bonita, alegre, educada. Cidades limpas com calçadas e coisas bonitas.
Depois de 10 dias na praia e a dengue quase curada, voltamos para Bangkok para ver o que faltou e para começar a ida para o norte onde vamos cruzar a fronteira do Laos. Como chegamos no domingo tivemos que ir aproveitar o mercado flutuante de Tailing Chan que só abre nos finais de semana. É um lugar muito diferente do que já vimos e do que eu imaginava. Esse mercado não é nem o melhor nem o maior de todos mas era o único que teríamos tempo de ver. É um píer flutuante onde os barcos atracam para vender as coisas. Como tudo por aqui, é bonito e colorido.

E aí andamos muito até Chinatown para conhecer e para sentir a comemoração do Ano Novo Chinês. Esse é o ano da serpente. O lugar estava cheio. A maioria vestido de vermelho carregando pequenos dragões coloridos que fazem barulho. A comunidade chinesa é grande e fecharam Chinatown para as comemorações e o desfile da família real. Infelizmente não conseguimos ver porque estávamos pregados.

Dia seguinte deixamos para ver o Wat Pho onde fica o enorme Buda reclinado. O templo fica ao lado do Grand Palace e é enorme. Passamos umas quatro horas andando dentro dele. Os templos geralmente são rodeados por monastérios, escolas, dormitórios. Esse é considerado a primeira universidade da Tailândia

Buda reclinado dentro do templo Wat Pho. Wat é templo em tailandês.
Buda reclinado dentro do templo Wat Pho. Wat é templo em tailandês.

Fora do grande templo é toda essa beleza.

Antes de ir para Chang Mai fomos até Ayuttahya que será outro post. Naquele dia de viagem que é sempre difícil porque temos que fazer checkout do hotel até meio dia e tomar o ônibus a noite para viajar a noite toda e economizar um dia e uma diária de hotel, sempre fazemos um programa light. Esse foi se despedir de Bangkok, essa cidade maravilhosa, quase Dubai, moderna, cheia de shoppings ultra lindos e ultra novos mas com aquelas coisinhas que só tem na Tailândia.

Agora partimos de ônibus do governo (que são os melhores e mais seguros) para outra aventura em Chiang Mai, norte da Tailândia onde vamos tentar ver as mulheres com anéis no pescoço, fazer curso de meditação e de culinária e descansar se for possível.

2 comentários sobre “Bangkok – na Terra dos Sorrisos

  1. Anônimo

    valeu! você descreve com muita propriedade e encanta quem te lê. Aproveitem a continuidade da viagem. Japir e Lilian

  2. Wilde A Campos

    Outro mundo, realmente, outro estilo de arquitetura, com muitos dourados e cores alegres e maravilhosas. Vania e Carlos, vocês estão lindos e felizes e penso que dengue, tanta sujeira de vacas, pobreza e poluição contribuíram para se sentirem aliviados e valorizarem mais a felicidade atual. Vamos ser otimistas e pensar que a pior parte já passou. Olhar para a frente, agora. Bjs, bjs.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s