Informações práticas – Laos

Laos é um país interessante. É um país comunista onde todos tem seu negócio próprio, o governo estimula o capitalismo. O dinheiro é desvalorizado e ainda assim compra muito mais que o nosso. Um dólar compra quase 8.000 kip, mas um prato em restaurante custa 15.000 kip. Nunca vimos um preço menor que 1.000 kip então eles não tem moedas. Não vimos propaganda de líderes do partido e nem músicas, hinos ou qualquer outro tipo de reverência patriótica. O povo é muito simpático, amigável, não tem aquela insistência e a perseguição dos indianos. Perguntam uma vez se você quer algo, você diz não e eles desistem.
Tem toque de recolher às 11:30, os bares fecham. É claro que os turistas sempre acham algum lugar que continua aberto. Temos que tirar os sapatos para entrar em todos os lugares inclusive hotéis. Nos encantamos com o país. Tanto do que não sabíamos da história quanto do povo como dos lugares lindos que visitamos.

Moeda
Kip (a moeda não tem plural)
Nessa data: US$ 1 compra 7780 kip

Atenção
Para cada saque feito no cartão de débito, o banco cobra US$ 3 (20.000 kip) então tente sacar o máximo que é um milhão de kip.

Eletricidade
220V-230V / 50 Hz
Tomada pinos redondos iguais aos nossos antigos e com pinos americanos. Bom trazer adaptador para tirar o pino terra.

Comida
Até agora achamos tudo mais barato que o Brasil. Nos supermercados, nos restaurantes e nas ruas tudo tem preço então não tem como ser enganado. Na aba Informações / Gastos tem a planilha dos nossos gastos inclusive no supermercado. Nos restaurantes, em geral, comemos por US$ 7 os dois com cerveja ou refrigerante. Nada muito sofisticado. Na rua, que é confiável e dá para comer gastamos US$ 6 ou menos. A comida não é apimentada, é temperada para nosso gosto e, apesar de ter uns molhos diferentes a base de peixe e tamarindo, é saudável porque tem legumes variados, proteína de alguma carne e muito carboidrato de macarrão ou arroz. Na rua também sempre tem oferta de frutas já cortadas e prontas para comer e sucos. Não tem a variedade da Tailândia e nem a limpeza ainda assim é possível. Nas feiras de rua não vimos tanta higiene quanto na Tailândia. Muitas moscas, carnes não refrigeradas, nada de luvinhas ou cuidado com a mão que pega o dinheiro.

Transporte entre cidades
Não é complicado, é diferente. Todos os hotéis dos lugares turísticos vendem passagens completas (pick-up, barco, tuk tuk, vans, ou seja, tudo que é necessário para chegar ao destino) por quase os mesmos preços. A diferença é mínima. É escolher um lugar, negociar um desconto e comprar. Preferimos sempre comprar no hotel onde estávamos porque caso desse algum problema eles seriam responsáveis e poderiam fazer algo. Não se preocupe com o jeito asiático de vender o pacote: eles te entregam um voucher dizendo até onde você vai. Vem a pessoa do pick-up e te leva até a rodoviária, lá ele te entrega a passagem do ônibus ou te direciona para o guichê, quando você chega ao destino tem alguém te esperando lá em um tuk-tuk, um barco, o que for. Você tem que confiar porque conosco sempre deu certo mesmo o stress sendo grande porque você nunca sabe o próximo passo.
Achamos mais complicado no Laos viajar por nossa conta porque cada viagem se compõe de partes e não conseguiríamos sair comprando tudo por nossa conta. Veja como exemplo a ida até Don Det abaixo. E também porque nem sempre eles te entendem nas estações de ônibus.

Transporte nas cidades
Existe de tudo e uma constante em todas as cidades do interior são os songthaews (pronuncia-se songtaeo) . Veja o post de das praias para saber o que é um. Nas cidades menores tem uns songthaews com menos lugares e um tuk-tuk de quatro lugares. Não usamos táxi. Em Vientiane usamos ônibus regular de linha e foi muito bom e até com ar condicionado. Os cobradores ficam dentro do ônibus. Eles te veem e vem cobrar. A maioria das vezes consegue te ajudar onde você deve descer.

Segurança
Total. Não tivemos nenhum problema na viagem toda e nos 12 dias no Laos. As pessoas cumprem o combinado, nunca vimos nenhum assalto ou tentativa. Eles não erram nem o troco. Algumas vezes esqueci a bolsa com tudo dentro, voltei dali uma meia hora e estava tudo lá intocado. Tome apenas os cuidados básicos de sempre e aquela negociação para não ser muito enganado nos preços.

Dicas
– o preço da cerveja no supermercado e nos bares é quase sempre o mesmo, então aproveite.
– em nenhuma cidade do Laos tivemos problemas com reservas de hotéis. Mesmo sendo fevereiro a alta temporada sempre conseguimos achar hotel com preços negociáveis. As cidades são pequenas e os hotéis ficam concentrados então é fácil procurar. O pior lugar foi Vientiane porque é bem mais caro que o resto então tem que procurar muito.

Visto para o Laos
Pegamos na hora, na entrada, não é complicado. Leve foto de passaporte, US$ 31 trocados porque nem sempre eles têm troco em dólares, leve uma caneta para preencher o formulário que é simples.

Luang Prabang
Luang Prabang é uma cidade pequena, cheia de charme e graça, no norte do Laos, é patrimônio da humanidade, cheia de ruas simpáticas e boas para andar a pé ou de bicicleta. Tem todo o charme francês deixado pelos colonizadores. Gostamos muito. Ficamos por lá 4 dias. Foi bom e suficiente.

Como chegamos
Saímos de Chiang Mai na Tailândia. Compramos a viagem no nosso hotel. Fizeram o pick-up no hotel de manhã (10:00), em uma van muito boa com AC e cheia, passamos pelo White Temple (templo branco) em Chang Rai, paramos para almoçar e fomos para Chiang Kong na fronteira. Eles te deixam na fronteira e do outro lado alguém está te esperando. Fizemos as saída da Tailândia, nos colocaram em um barquinho precário para fazer a travessia do Mekong às 16:00. Depois do visto e da entrada no Laos, nos levaram de songthaew até a rodoviária. Compraram a passagem na hora, sem reserva. Ônibus VIP para eles, mas regular para nós, deram uma garrafinha de água, cobertor. Pararam muitas vezes para os locais descerem. A viagem é horrível, a estrada é cheia de curvas e esburacada. Chegamos às 5:30 da manhã em uma rodoviária fechada cheia de songthaews. Pagamos US$ 2,50 / 20.000 kip por pessoa para o songthaew nos levar até o hotel que queríamos.
US$ 45 / 1300 bahts (comprada na Tailândia no hotel)
Passagem de ônibus VIP de Borkeo para Luang Prabang em ônibus VIP (vi o preço na passagem)
US$ 20 / 145.000 kip

Como saímos
Para Vang Vieng.
Compramos a viagem em uma agência perto do nosso hotel porque era o melhor preço. Não guardei o nome. Fizeram o pick-up às 8:30, fomos até a rodoviária e pegamos um ônibus com AC e almoço incluído. Ônibus só de turistas. A viagem é durante o dia, chegamos às 16:00 em Vang Vieng. A estrada é sinuosa. Para quem tem enjoo, remédio. Chegamos a rodoviária de Vang Vieng que é pertinho do centro e dos hotéis. Sem bagagem é possível andar. Pagamos US$ 1,31 / 10000 kip (os dois) pelo songthaew que nos deixou na porta do hotel que escolhemos.
US$ 18 / 140.000 kip

Oficina de Turismo
A oficina de turismo fica na Main Road. São atenciosos, gentis e os mapas são vendidos.
US$ 1,30 / 10.000 kip

Hotel
Villa Aphay Guest House
57/4 Phomathath Road, Town Center, Luang Prabang, Laos
Endereço: Ban Aphay, uma ruazinha, travessa da Phommathat, e no caminho para o conhecidíssimo Utopia Bar.
Email: somkhit87@hotmail.com

A melhor qualidade desse hotel é a localização. Perto do templo e longe das hordas de turistas, fica a 10 minutos de caminhada do centro. É possível assistir a verdadeira Ronda das Almas (leia post). É tocado por uma família muito simpática. Tem AC, banheiro molhado com água quente, TV normal com cabo, frigobar, wi-fi no quarto que pega melhor no corredor, cama de casal e uma cama de solteiro. Eles fornecem toalhas, sabão, papel higiênico, bananas grátis todos os dias, água quente e café a disposição. Tudo o que acontece na cidade fica no centro então se você não gosta de andar tente outro. O proprietário fala pouco inglês. O templo atrás do hotel toca o sino bem cedinho.
US$ 20 / 150.000 kip

Entradas para as atrações
That Phi Si e Wat Tham Phu Si – a estupa e o templo não são grande coisa e nem bonitos, mas a vista lá do alto é espetacular. Vá às 16:00 para pegar um lugar para ver o por do sol no Mekong. Fica lotado e todos brigam pela melhor foto. Valem os 410 degraus. A princípio pensamos que era coisa de hippie maluco pagar para ver o sol.
US$ 2,62 / 20.000 kip

Cachoeira Kuang Si – é um dos pontos altos de Luang Prabang. Veja o post e as fotos. Nós gostamos muito. Vá de biquíni e chinelo para poder nadar. Leve seu lanche e coma olhando a cachoeira. Também tem os ursos para ver. Fica a 28 km de LP. Vá até a rua que margeia o rio Mekong (Souvanabanlang Rd que também muda de nome) e pegue o songthaew.
Songthaew para chegar lá ida e volta – Eles cobram 200.000 kip pelo carro todo então se você conseguir mais 4 pessoas para compartilhar fica mais barato. Te levam, esperam lá o tempo que você marcar e trazem de volta para o ponto de partida.
Entrada: US$ 2,62 / 20.000 kip
Songthaew: US$ 5,24 / 40.000 kip (até cinco em cada carro)

Movimentar-se na cidade
A cidade é pequena e as redondezas também. O melhor é alugar uma bicicleta. Alugamos uma com marchas.
US$ 2,62 / 20.000 kip pelo dia todo

Dicas
– não perca de forma alguma a Ronda das Almas. É diferente e bonito. Vale a pena acordar às cinco da manhã, ir para as ruas perto do hotel que ficamos e assistir a cerimônia.
– no Night Market tem vários buffets de comida típica que você pode encher o prato quanto couber por US$ 1,31 / 10.000 kip. Se acrescentar o peixe do Mekong, muito bom, fica mais US$ 2,62 / 20.000 kip. Uma pechincha.
– não deixe de visitar o Night Market
– se você alugar uma bicicleta não deixe de atravessar a ponte que é grátis e ir para as duas vilas ao leste de Luang Prabang que tem artesanatos lindíssimos e interessantes.
– A rua principal de Luang Prabang, onde tem a Ronda das Almas, os cafés, os restaurantes e os hotéis muda de nome três vezes, mas todos chamam de Sakarine Road
– o ponto melhor para pegar os songthaews para a cachoeira fica na rua que margeia o Mekong. Lá custam mais barato cerca de US$ 1,30 / 10.000 kips

Vang Vieng
É uma cidade pequena, organizada, destino de jovens e hippies que vão para descansar e festar e fazer tubing. E é isso. Não tem muito para fazer além de andar, descer o rio de boia, beber, comer, andar de barco e descansar. Usamos para fazer uma parada da viagem de Luang Prabang até Vientiane.

Como chegamos
Viemos de Luang Prabang.
Passagem de Luang Prabang em ônibus VIP com pick up. Na rodoviária, quando nos entregaram as passagens custava 105.000 kip. Viagem tranquila, almoço incluído e não muito bom. Estrada cheia de curvas.
US$ 18,32 / 140.000 kip

Como saímos
Fomos para Vientiane.
Ao lado do lugar onde as boias são alugadas tem uma agência de turismo e foi o lugar mais barato que achamos. Não tem pick-up, você tem que ir até a agência. Tuk-tuk até a rodoviária e ônibus com AC até Vientiane. Chegamos durante o dia. Viagem tranquila. Saímos às 13:00 e chegamos às 17:00.
US$ 5 / 40.000 kip

Hotel
Orchid GuestHouse
Não tem endereço. É em frente ao Song River, perto do lugar em que alugam boias, na paralela com a Main Road.
856 20 22202259 856 23 5111172
AC e ventilador, banheiro com água quente, fornecem toalhas, papel higiênico e sabonete. Limpo, simples, quarto grande e tem varanda com vista para o rio. Gostamos.
US$ 10 / 80.000 kip

Passeios
Tubing
Descer o rio de boia. A paisagem é linda, o rio é raso e transparente. Adoramos. Levamos quatro horas para descer tranquilamente sem parar em nenhum bar.
US$ 7,20 / 55.000 kip pela boia o dia todo até às 18:00 e depósito US$ 7,85 / 60.000 kip

Comer
Restaurantes perto do rio Nam Song e todos com vista para o rio e confortáveis mesas com almofadões. Preços bem razoáveis. Aproveite para comer aqui porque em Vientiane sobe tudo.
Banana
The Other Side
Carrinhos de rua com sanduíches de US$ 1,31 / 10 a US$ 2,62 / 20.000 kip e crepes de 10.000

Dicas
– não deixe de fazer o tubing porque é uma delícia, organizado e barato.
– visite o mercado da cidade (Morning Market) que fica perto da rodoviária e é possível ir a pé ou de bicicleta

Vientiane
É a capital do país. Não tem muito para fazer, é bonitinha, organizada e é mais cara para dormir e comer. Passamos lá para conhecer a capital e para quebrar a viagem ao meio e porque o ônibus para Don Det parava ali de qualquer forma e tinha que fazer baldeação. Se tiver pouco tempo pode pular. Fique apenas 1 dia.

Como chegamos
Viemos de Vang Vieng.
Ao lado do lugar onde as boias são alugadas tem uma agência de turismo e foi o lugar mais barato que achamos. Não tem pick-up, você tem que ir até a agência. Tuk-tuk até a rodoviária e ônibus com AC até Vientiane. Chegamos durante o dia. Viagem tranquila.
US$ 5 / 40.000 kip

Como saímos
Fomos para Don Det – 4.000 Ilhas
Compramos as passagens no próprio hotel em que ficamos e que também é operadora de viagens. A viagem foi longa, mas tudo correu bem e chegamos a Don Det na hora do almoço. Saímos às 20:00. Tuk-tuk no nosso hotel, parou umas 4 ou cinco vezes para pegar mais pessoas. Creio que fomos em 12. Rodoviária, ônibus leito, chegamos 6 da manhã em Pakse. Levaram-nos para agência de turismo onde tem banheiro, café e wi-fi. Esperamos até as 8:00 quando outro ônibus nos levou até Ban Nakasang. Andamos até o porto e pegamos o barco até Don Det. Foi cansativo.
US$ 30 / 230.000 kip

Hotel
Hotel Soutch ai Travel
Em frente ao Mixay Guesthouse
054 Nokeo Koummane Rd, Vientiane, Laos
Não recomendo. Ficamos lá porque os outros eram muito caros ou estavam lotados. A localização é excelente. Fica perto do Mekong, perto de onde o ônibus que vem de Vang Vieng para. Central mas ruim. AC e wi-fi no quarto não muito bom. Banheiro com água quente, privativo, mas fora do quarto. Pequena varanda onde dava para secar e um sentar e muitos pernilongos.
US$ 14,40 / 110.000 kip

Entradas
Budha Park – vá se não tiver mais nada para fazer. É longe, demora três horas para ir e voltar e tem apenas esculturas meio doidas e é mal conservadas. Tem que ir até a estação de ônibus atrás do Morning Market (Talat Sao), pegar o ônibus 13 e descer no ponto final que é na ponte da amizade que liga o Laos a Tailândia. Lá pegar outro ônibus local até o Budha Park. Pode ir de táxi também, mas fica muito caro.
Entrada: 5.0000 kip
Ônibus 13: US$ 0,80 / 6.000 kip
Ônibus local: US$ 0,40 / 3.000 kip

Dicas
– a noite vale a pena andar pelo calçadão do Mekong para ver o movimento e a feira de artesanato e comida local.

Don Det
Don Det é uma pequena ilha, não tem nada para fazer, a praia é feia e suja e a acomodação é fraca. Não é caro. Só dá para descansar, comer e beber. Paramos porque uma blogueira que seguimos falou bem e porque era uma maneira de quebrar a viagem em duas e estar a 30 minutos da fronteira.

Como chegamos
Viemos de Vientiane.
Compramos as passagens no próprio hotel em que ficamos e que também é agência de viagens. A viagem foi longa mas tudo correu bem e chegamos a Don Det na hora do almoço. Saímos às 20:00. Tuk-tuk no nosso hotel, parou umas 4 ou cinco vezes para pegar mais pessoas. Creio que fomos em 12. Rodoviária, ônibus leito, chegamos 6 da manhã em Pakse. Levaram-nos para agência de turismo onde tem banheiro, café e wi-fi. Esperamos até as 8:00 quando outro ônibus nos levou até Ban Nakasang. Andamos até o porto e pegamos o barco até Don Det. Foi cansativo mas tudo correu bem.
US$ 30 / 230.000 kip

Como saímos
Fomos para Siem Reap no Camboja.
Compramos a passagem em Don Det na Sout Chai Travel (perto da prainha).
Saímos às 08:00 de barco até Ban Nakasang. Esperamos até às 9:30 para o ônibus chegar. Não tem lugar marcado. Só tinha turistas. Durante a espera o acompanhante do nosso ônibus explicou a burocracia para entrar no Camboja: preencher um formulário, dar uma foto tipo passaporte e pagar US$ 30. O visto custa US$ 20 e o resto é propina. Quem foi por conta própria pagou US$ 28. Se for por conta, corre o risco de dar algum problema e o ônibus inteiro ficar te esperando. Achamos que não valia o sacrifício. No entanto ficamos de olho em toda a operação para não perdermos os passaportes. Na fronteira passamos caminhando, passamos no controle de saúde e esperamos os trâmites por uma hora já do outro lado. Chegamos a Siem Reap à 00:30. Pegamos um tuk-tuk até o hotel. Hotel pagava o transporte.
US$ 35 (mesmo preço em todas as agências então escolha a que gostar mais)

Hotel
Phonepasack Guest House – lado do nascer do sol
Quarto super simples com banheiro com água fria. Fornecem apenas toalhas. Varanda com rede de frente para o rio. Não aconselho e nem recomendo. Sujo, tinha ratos, pernilongos. Só vale pelo preço.
US$ 6,54 / 50.000 kip

Dicas
– Don Det não tem ATMs
– Para passar o tempo e se não tiver nojo do Mekong, faça tubing.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s