Sapa – os hipnóticos terraços de arroz

Os famosos terraços de arroz
Os famosos terraços de arroz

Sapa é outro cartão postal do Vietnã. São terraços em cascata onde é plantado arroz em meio a uma vegetação verde e generosa. A cidade fica nas montanhas Hoang Lien conhecidas como os Alpes de Tonkin. As vistas são idílicas e no começo do século os franceses fizeram do lugar sua estação nas montanhas aonde iam para aguentar o calor imenso do Vietnã. Com isso a cidade ficou cheia de hotéis, vilas, vinho de frutas local e influência francesa. Durou até a invasão japonesa, ficou abandonada um tempo e reviveu para o turismo nos anos noventa quando o Vietnã se abriu para o mundo. A cidade é graciosa, bastante turística, inúmeros restaurantes, bares e cafés.

A região é conhecida também pelo povo das montanhas. São várias minorias étnicas que se vestem e vivem de maneira diferente. São grupos nômades que vieram da China no começo do século 19 e que ficaram por ali nas terras altas do norte. São os Hmongs (que quer dizer livre na língua deles). As roupas são muito bonitas, mas agora eles vivem para o turismo então é comum ser abordado com insistência pelas mulheres e crianças e ser rodeado por elas. No final você perde o interesse pelas minorias.
A melhor época para ir não é a que fomos porque os terraços não estão plantados, nem verdinhos e nem amarelos prontos para a colheita. O melhor dia é no final de semana para ir ver a feira do povo das montanhas e no final de semana era nosso voo para HK. Ainda assim vimos tudo de lindo.

Depois de ler muita internet, pesquisar muito e tentarmos ir sozinhos (não tinha mais passagem de trem para o dia que queríamos) decidimos ir com um tour porque assim teríamos certeza de ir no dia certo e voltar a tempo de pegar o avião para Hong Kong. Odiamos tours e não estamos conseguindo nos livrar por causa dos tempos corridos e das dificuldades do país. Foi ótimo, tudo deu certo, o trem era bom, dormimos a noite toda, o hotel era magnífico para os nossos padrões mochilas, fizemos amigos ótimos e conseguimos cumprir a programação Vietnã. Fomos em uma cabine para quatro pessoas, muito bem acompanhados pelo Ray e pela Grit, e o trem para em uma cidade próxima: Lao Cai. O caminho de Lao Cai até Sapa é feito por vans muito boas e o trajeto já é lindo. Tinha fog, mas vimos os terraços de arroz por todo caminho. Já fomos nos maravilhando.
Aqui, como em Halong Bay, está sendo difícil escolher as fotos porque o lugar é tão lindo que é uma tarefa ingrata.

Os três meninos de Cingapura (ótimos), Ray da Austrália, Dra Chi do Vietnã e Grit da Alemanhã. Turma boa.
Os três meninos de Cingapura (ótimos), Ray da Austrália, Dra Chi do Vietnã e Grit da Alemanhã. Turma boa.

A Dra Chi foi nossa grande fonte de informações para o Vietnã, inglês excelente, respondeu todas as nossas perguntas e dúvidas. Aprendemos muito com ela. Grit foi um divertimento quando conhecemos porque ela é governanta em Saigon, ou seja, estereotipo de alemã cuidando de crianças. Não pude deixar de rir. Aquele sotaque alemão muito característico mas só. Uma alemã toda ao contrário: faladeira e muito extrovertida. Antes de ir embora nos deu chá verde vietnamita para experimentarmos (muito bom) e me deu uma pulseira artesanal da região que é meu único souvenir até agora. Ray um australiano típico: super simpático. Os meninos de Cingapura uns fofos.

Primeiro dia, na chegada, fomos fazer seis quilômetros de trilha até Cat Cat até chegar a vila dos Black Hmong. Lá vimos um show turístico muito bom de dança e música do povo das montanhas, vimos a cachoeira, casas típicas e artesanato. Ir é fácil porque é decida, a volta são seis quilômetros de subida e os locais ficam oferecendo para você voltar de moto. Muita gente não resistiu e voltou. Nós subimos a pé mesmo. A noite provamos a pior cerveja do mundo: Lao Cai. Ainda bem que a companhia do Ray, Grit e Dra Chi estava excelente. Encerramos o dia muito bem.

Segundo dia uma trilha de dez quilômetros até Lao Chai e Ta Van. Foi dureza mas a paisagem vale, passamos quase dentro dos terraços de arroz. Andamos 10 quilômetros e voltamos de van mas ficamos estourados.

E mais Sapa para olhar e se encantar. Não consegui escolher de novo.

3 comentários sobre “Sapa – os hipnóticos terraços de arroz

  1. Wilde A Campos

    Mesmo já sendo passado, não dá pra deixar de comentar as belezas de Sapa: o hotel, que é uma graça; os terraços de arroz e seus detalhes, que fotografados assim de perto os torna mais interessantes; as minorias com suas roupas coloridas, são totalmente diferentes dos vietnamitas que temos visto; o artesanato de bambu e aquela escada são originais. Apesar dos quilômetros mil, caminhados e dos pés doloridos, vcs não poderiam perder esse passeio.

    1. vcteixeira

      Olhei o blog de vocês e também gostei muito. O que a internet nos propiciou foi encontrar mais gente que pensa como nós. Boas viagens e se precisar, escreva.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s