Brisbane – onde a gente queria morar

Nós em frente ao Rio Brisbane no South Bank no nosso primeiro passeio pela cidade
Nós em frente ao Rio Brisbane no South Bank no nosso primeiro passeio pela cidade

Brisbane é uma cidade de dois milhões de habitantes, tranquila, sossegada e bonita. Nós ficamos encantados. De novo calçadas largas, ruas bonitas, parques para todos os lados, museus de cair o queixo e prédios históricos super bem conservados. Trânsito ótimo, não ouvimos buzinas, não vimos motos. Duas rodas só bicicleta para todo lado. Ciclovias disponíveis para todos os cantos e lugares para correr então é bom nem falar. Aqui é o paraíso dos corredores ou praticantes de outros esportes. Rio Brisbane limpo. Banheiros públicos limpos, bem conservados e com todas as utilidades (papel, sabonete). Que mais alguém pode querer? Criminalidade nenhuma. Se os preços fossem melhores creio que ficaríamos. É igual Sidnei: cheio de loucos, louquinhos, desajustados e monstros. Mas não comprometem a cidade. Vimos alguns sem teto (homeless) e mendigos nenhum. Quanto tem pedintes eles estão fazendo algo de útil como tocando instrumentos, desenhos ou malabarismos. Gostamos muito da cidade e tudo foi fácil em Brisbane: wi-fi gratuito no Jardim Botânico, na biblioteca lindíssima, grande e com vista para o rio, ônibus grátis pelo centro histórico, um ferry grátis e gracinha para passear pelo rio de dia e de noite. O albergue foi um dos melhores, perto do supermercado e totalmente seguro e limpo. Finalmente chegamos a uma rodoviária de verdade e não apenas um ponto de ônibus. Ou seja, tudo deu certo. E para completar chegamos à cidade bem no dia do aniversário de Buda. Boas vibes.

E fomos fazer nosso dever de casa: turismo. Andar pela cidade a pé, de ônibus grátis e de barco idem. Ver os prédios históricos e os modernos. Infelizmente não tirei foto da biblioteca maravilhosa e da rua das compras: Queen Street Mall e do Jardim Botânico. Ficamos pouco tempo, Brisbane merecia uns dois dias a mais.


Coisas de Brisbane que nos divertiram ou que adoramos

Brisbane foi o albergue mais doido Chegamos tinha dois franceses, um australiano chamado James de 21 anos e um menino que trabalhava a noite e chegava à uma da manhã. Quando chegamos a tarde os franceses tinham ido embora (nem vimos eles) e dois ingleses chegaram. Um casal muito simpático e que dormiram na mesma cama juntos. Abraçadinhos. No meio da noite chegou um holandês que acordou no dia seguinte e foi embora. Difícil é coordenar as ideias. Difícil é dormir com gente chegando de madrugada. Também encontramos uma brasileira chamada Lucia. Em Brisbane além de ouvirmos mais português pelas ruas também fomos acordados uma noite por alguém gritando: E ai galera!!! Com sotaque carioca. Estava no albergue ao lado, mais bagunçado e que permitiu festa depois das 23:00. Essas fotos são para quem nem imagina o que é um albergue na Austrália e esse é o melhor e mais novo.

Fomos embora já com saudades porque a cidade é um encanto. Ela parece ser mais australiana que Sidnei. Tem menos turistas, é mais espalhada e muito menos mercenária. Andamos tudo a pé, o centro é muito bonito e faltaram vários lugares turísticos para visitar. O Jardim Botânico vai deixar saudades.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s