Airlie Beach / Whitsundays – a cidade que não é praia

Carlos velejando, comendo bolo de chocolate e comemorando o aniversário em alto estilo
Carlos velejando, comendo bolo de chocolate e comemorando o aniversário em alto estilo

Depois de Fraser Island a próxima parada é Airlie Beach. É simples assim. É tão normal que continuamos encontrando o mesmo pessoal pelo caminho do mesmo jeito que foi no Vietnã. Tem o pessoal que está indo para o norte, como nós, e o pessoal que está indo para o sul. Não importa a direção às paradas são as mesmas. Esse foi um dos motivos que escolhemos o pacote de ônibus e acomodação da Greyhound. Dessa forma estaríamos sempre com turistas. Depois daquela experiência no Vietnã achamos melhor não arriscar. Aqui também os ônibus estão sempre lotados, tem assentos pequenos e estreitos, mas o motorista trata você com respeito. É claro que não tem nem cobertor e nem água. Na verdade na Austrália nada é cortesia. Tudo é cobrado. As paradas do ônibus, como no Brasil, também são em lugares com preços mais caros que do resto. E mais uma viagem tranquila e chegamos a Airlie Beach que é apenas o lugar para dormir e fazer os passeios nas ilhas Whitsundays.
A cidade é bonita, pequena, tem quase nada e surpresa, surpresa: não tem praia. Quer dizer, praia tem não tem é mar. Foi uma surpresa descobrirmos que apesar da praia (um tanto feinha) com mar não poderíamos sequer colocar o pé na água. É infestado de água-vivas mortíferas. Encostou você morre. Se tiver sorte consegue ser levado imediatamente para um hospital e sobreviver. Não quisemos arriscar. Por conta disso eles construíram uma piscina pública cercada de um pouco de areia. É o piscinão de Ramos melhorado. Bem melhorado. Em volta tem lugares para trocar de roupa, banheiros limpos e completos, bebedouros, playground e churrasqueiras elétricas. É um luxo. O shopping center fica a 3 km do albergue e é onde fica o supermercado. Andamos muito para poder fazer compras. Tivemos que ficar em Airlie Beach mais que o planejado porque a próxima parada estava lotada. Foi bom porque descansamos um pouco, caminhamos bastante e gastamos menos ainda.

No hostel ficamos com Amy e Joshua o casal mais amável e educado e gracinha que pegamos até agora. Os dois holandeses e ele com pai indonésio com os olhos puxados. Depois passaram dois suíços novinhos (a menina carregando um coelho gigante de pelúcia chamado Rusty) que dormiram apenas uma noite. Na sequência chegaram 4 de Taiwan bagunceiros, barulhentos e abusados. Colocaram até um a mais no quarto para dormir (que é proibido). O casal dormia na mesma cama juntos e como sobrou um espaço colocaram outro da turma. Entravam no banheiro todas as três meninas e saiam umas três horas depois. Tanto a noite como de manhã. Era banho, secar cabelo, maquiagem. Um terror. Conseguimos sobreviver, mas mais um dia teríamos matado um deles.

Todos vão para Airlie Beach apenas para fazer os passeios para as WhitSunday Islands que é um arquipélago de 74 ilhas situadas dentro da reserva marinha da grande barreira de corais. Essas ilhas e os atóis com praias de areia finíssima e branca são destino numero um para os australianos e para o resto do mundo.
Muitos fazem vários passeios de mergulho, velejam ou saem em barcos raft. Nós escolhemos velejar e fazer snorkel com um veleiro muito bonito. Infelizmente não podemos fazer vários passeios por conta dos gastos, mas esse valeu. Não conhecemos a famosa Whitehaven Beach que dizem ser uma das praias mais lindas do mundo. Fomos até o atol Langford Reef Coral Atoll já na grande barreira de corais, fizemos dois snorkels em duas reservas marinhas, vimos golfinhos, tartarugas enormes, corais lindos e peixes variados. O barco é um veleiro antigo que foi reformado e velejamos de verdade. Tanto que o Carlos e mais alguns tiveram que ajudar içar as velas. Durante o passeio café da manhã, almoço e chá da tarde. Tudo muito bom e muito farto. A equipe do barco muito boa, explicaram tudo sobre o local. Tivemos um dia bom, tranquilo e feliz para comemorar o aniversário do Carlos em grande estilo.

E depois nosso dia a dia em Airlie Beach era andar pela praia, alimentar as gaivotas, ir até nosso lugar favorito com internet grátis, fazer nosso almoço que foi incrementado pela doação de alguém que deixou quatro latas de Bundaberg Rum.

E depois de tantos dias fazendo nada pegamos nosso ônibus novamente rumo a Townsville.

Um comentário sobre “Airlie Beach / Whitsundays – a cidade que não é praia

  1. JAPIR DE MELLO JR.

    Maravilha de passeio e que vocês aproveitaram bastante; merece muito cuidado a ocorrência de água-vivas; todo cuidado é pouco com veneno.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s