Mission Beach – mais uma praia, mais um parque nacional e mais um animal diferente

Cassowary - a foto não é minha
Cassowary – a foto não é minha

Durante todo o caminho fui lembrando a terrinha porque era cana dos dois lados da estrada, alguns treminhões. Só não tinha a fuligem de Ribeirão Preto. É que o porto de Townsville (cidade que deixamos para trás) é o maior exportador de açúcar da Austrália.
Decidimos passar em Mission Beach porque se fossemos para Cairns direto estaria tudo terminado porque nosso passe de ônibus ia acabar e dai para frente teremos que ver como vamos viajar o restante dos dias. Então para durar mais um pouco a tranquilidade de ter ônibus garantido paramos em MB. Foi muito bom. Como sempre mais uma praia que não é praia onde não é possível nadar, mais uma cidade pequena e graciosa, mais trilhas nos parques nacionais para caminhar. Com uma pequena diferença: ficamos num albergue muito bom que não tinha mesquinharias e que nos deu oportunidade de fazer várias coisas porque eles facilitavam a nossa vida. Ficamos dois dias com a uma alemã de 22 anos chamada Melanie e no terceiro dia chegou mais uma alemã novinha chamada Hanna que também foi para MB para pular de paraquedas. Essa é a pedida da cidade. Primeiro porque não tem muito que fazer nela além de caçar cassowary, correr atrás dos wallabies, fazer trilhas e olhar a maior lua que vimos até hoje e depois porque o pulo aterrissa na praia. Aproveitamos também para completar 8 meses na estrada e ver a maior lua da nossa vida. Pena que nossa câmera seja tão fraquinha.

E no geral fizemos o mesmo de todos os lugares: fomos conhecer a pequena cidade, fizemos uma trilha de 6 kms pelo parque Bicton Hill, fomos tentar ver mais wallabies (aqueles cangurus menores) e fomos apresentados a mais um animal estranho: cassowary. Cassowary é um pássaro grande, que não voa e que só tem na Nova Guiné e no norte da Austrália. É o pássaro mais alto e o mais pesado do mundo (lá pelo terceiro colocado, na verdade) e é muito bonito. São ariscos e depois de botar cerca de cinco ovos enormes a mãe some e deixa o pai chocando por um mês e meio e cuidando da cria por um ano. E vai procurar outros parceiros.

E mais wallabies. Desculpem a tremedeira da câmera mas eu não sou pro e os bichinhos corriam muito.

Esses pássaros só apareceram para nós no último dia, antes do checkout. Fizeram um passeio charmoso pelo quintal e sumiram.
Com tanto para fazer começamos a reparar que de albergue em albergue estamos conhecendo jovens do mundo todo, mas a maioria da Europa e eles estão nos surpreendendo. Não são porra louca, alguns fumam, todos bebem e às 23:00 quando é para fazer silêncio cada um vai para seu canto e não se houve mais um pio. Todos são interessantes e tem assunto, todos querem vir para a América do Sul para conhecer. Tirando aquelas coisas de que nunca teve responsabilidade doméstica (tipo lavar, limpar e cozinhar) no resto todos eles se viram bem. E acima de tudo, em lugar algum, fomos excluídos dos passeios, festas ou conversas por conta da idade. Europeu não julga a pessoa pela idade ou aparência, mas sim pelo que você fala de interessante. E assim vendo a natureza, conhecendo boas pessoas entramos no nosso bom e velho ônibus da Greyhound e rumamos para Cairns para realizar mais um sonho.

Nosso ônibus e nosso destino
Nosso ônibus e nosso destino

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s