Broken Hill – o Outback

Camille, nossa anfitriã, em frente a casa dela
Camille, nossa anfitriã, em frente a casa dela
Estrada onde foi filmada Priscila a Rainha do Deserto, nossa lembrança do Outback
Estrada onde foi filmada Priscila a Rainha do Deserto, nossa lembrança do Outback

Em Melbourne começamos a procurar um couch em Broken Hill. Não existe YHA lá, o hostel em que a gente queria ficar foi vendido e estava em reformas. A cidade é pequena e não tínhamos ideia de acomodações. Além disso, estávamos com medo de sair da Austrália sem conhecer um pouco mais algum australiano que fosse. Pedimos o couch que foi respondido e aceito quase no mesmo dia. Ficamos surpresos de ter CS numa cidade tão distante e não tão grande, mas assim é o CS. Ficamos mais tranquilos e aproveitamos mais Blue Mountains. No dia certo saímos de trem preparados para uma viagem longa e cansativa que começou às 7 da manhã e acabou às 22:45. De trem de Katoomba até Dubbo e depois mais sete horas no ônibus da companhia de trem. É que o trem tenta ligar toda a Austrália, mas quando não é possível eles oferecem o ônibus deles mesmo, no caso o CountryLink. Funciona tudo perfeito e tudo dentro do horário. Chegamos a Dubbo, pegamos o ônibus e ficamos torcendo para não atrasar porque nossa anfitriã estaria esperando na parada em Broken Hill. Lá pelas tantas perguntamos ao motorista que hora chegaríamos porque vimos que já tinha atraso e queríamos avisar a anfitriã. O motorista disse: Chegaremos no horário previsto. Ai que ele contou que tem meia hora de diferença de fuso entre a costa leste e o outback.
É o Outback do estado de New South Wales. Adoramos tudo. A paisagem muda completamente, o país fica plano, tão plano que dá para você ver a curvatura da terra, a terra fica vermelha e os animais aparecem. Vimos bandos de emus, cangurus de vários tipos e pássaros. No caminho tem um lago maravilhoso chamado Menindee Lake. A cidade, onde foi filmado Mad Max 2 e Priscilla a Rainha do Deserto, é um encanto. Parece uma cidade do velho oeste americano, limpa, organizada, cheia de galerias de arte e cheia de gente muito interessante. Ficamos dois dias pelo fato de que só tem trem uma vez por semana. BH é uma cidade que vive da mineração desde sempre e nasceu por causa dela. A cidade respira história e continua empregando gente na atividade. A maior companhia de mineração do mundo fica aqui. Eles mineram galena que são uns cristais lindos. A Camille me deu um de lembrança.

Ônibus que nos levou de Dubbo até Broken Hill, motorista impecável, nenhum problema numa viagem de 7 horas
Ônibus que nos levou de Dubbo até Broken Hill, motorista impecável, nenhum problema numa viagem de 7 horas

Nossa experiência em Broken Hill foi nada menos que maravilhosa. Tudo deu certo, tudo funcionou e o lugar é lindo. Nossa anfitriã Camille estava lá nos esperando apesar de tarde. Camille é uma pessoa fantástica. Tendo um filho que percorreu a Europa usando o Couch Surfing, adorando a cidade em que mora e querendo mostrá-la as pessoas, resolveu aderir à causa. Não mediu esforços para nos receber bem. Nosso quarto parecia um hotel cinco estrelas, cama fofa, travesseiros fofos, toalhas branquinhas, fofinhas e cheirosas. Também fomos muito bem recebidos pela Samantha e pela Tabatha, as duas gatas da Camille, que adoravam ficar na frente do aquecedor. Uma casa muito prática, simples e bonita como tudo deveria ser. Um jardim cheio de plantas e flores muito bem cuidado. Dava para perceber o quanto ela gosta da casa e daquela terra para qual ela voltou depois de ter morado em outros lugares. Ela além de nos receber super bem, cozinhar para nós, disponibilizar o café da manhã e seu computador ainda nos levou para conhecer a cidade toda e as atrações mais distantes de carro. Também conhecemos seu irmão que é uma figura carismática e doce. Uma disposição sem igual. Como diz a outra mochileira, o céu deve estar repleto de Couch Surfers.
Fizemos vários passeios: mina, loja do irmão da Camille, Andy Jenkins, até a vista magnífica da estrada com o Flinders Rangers no final, galeria de arte, Silverton – uma cidade que é um museu a céu aberto da época de mineração, esculturas a céu aberto, outro museu da mineração e o cenários dois filmes.

Sculpture Symposium and The Living Desert. Esculturas que são cartão postal da cidade
Sculpture Symposium and The Living Desert. Esculturas que são cartão postal da cidade

Saímos de BH emocionados, foi como me despedir de uma amiga de longa data que com certeza eu não verei mais. Quando eu defini no post do Couch Surfing que era como ter um amigo te esperando em um lugar que você não conhece eu não tinha a noção do que era isso. Nossa visão da Austrália melhorou muito, nosso conhecimento das coisas da terra também. Tivemos uma aula de bondade, generosidade, cultura e aprendemos muitas coisas sobre a cidade e o país. Ficaremos com saudades.

2 comentários sobre “Broken Hill – o Outback

  1. Pingback: Couch Surfing | Two backpackers

  2. Wilde A Campos

    Vania, você e Carlos estão vivendo experiências maravilhosas nessa aventura e o fato de terem encontrado todo esse acolhimento em Broken Hill, uma cidade pequena e linda, da Austrália, tão distante para nós, só prova que ainda existem pessoas boas, batalhadora, gentis e honestas, neste nosso mundo. E creiam, as saudades agem como o combustível em todas as amizades, sejam elas familiares ou não. Que continuem felizes nessa aventura. Bjs.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s