Informações práticas – Estados Unidos

Os Estados Unidos não precisam de apresentação para os brasileiros. Aqui teremos que viajar completamente diferente. Não é um lugar para mochileiros porque além de ser caro as distâncias são enormes e sem carro é impraticável. Em todas as outras viagens não reservamos hotel, quando chegamos procuramos o melhor e mais barato. Aqui não é possível porque os hotéis não ficam todos juntos em uma mesma rua. Então alugamos um carro pelos 31 dias da viagem. Por isso sempre que falarmos de movimentação é de carro. Também contamos com a ajuda do nosso tablete com GPS TomTom off-line. Fizemos todos os trajetos indicados pelo GPS tomando o cuidado de pedir estradas sem pedágio e rotas curtas. Apesar de conhecermos os EUA sempre é uma surpresa boa. É fácil dirigir, as leis são claras, tudo funciona (mesmo na Califórnia), todos são educados, o trânsito é maravilhoso porque todos obedecem as leis. Mesmo em dólar conseguimos manter nosso orçamento. A comida todos conhecem e como existem grandes supermercados e os motéis tem geladeira e micro-ondas é possível comer bem e barato.

Moeda
US$ – Dólar

Dicas
– Nós pedimos vários Couchs aqui e o tempo de resposta é bem ruim. Comece antes. Poucos não respondem e  a maioria responde depois do necessário.
– Aqui, como no México, conseguimos desconto quando vamos pagar os hotéis em dinheiro e não no cartão de crédito.
– Descobrimos pela Califórnia um supermercado chamado Grocery Outlet que tem preços maravilhosos. Quase tudo pela metade do preço dos outros mercados.

Eletricidade
220V-230V / 50 Hz

Transporte nas cidades
Usamos ônibus de linha apenas em Los Angeles para ir até Venice Beach e foi só. Funciona perfeitamente e custou US$ 1.75. Não é um lugar para andar de transporte coletivo.
Alugamos nosso carro na Sixt por US$ 767 com todos os seguros, mas sem GPS por 31 dias.
O combustível varia muito. Vimos entre US$ 2.85 a US$ 4.15 por galão. Quanto mais isolado e turístico mais caro. Shell e Chevron são os mais caros.

Segurança
Completa. Não tivemos nenhum problema até agora.

Los Angeles
Cidade grande e bonita. Ficamos pouco. Voltaremos para pegar o avião e ai comento mais. Trânsito difícil, mas fácil para se locomover de carro.

Como chegamos
De avião, vindos de Cancun em um voo da United Airlines onde nos serviram apenas água. Cinco horas de voo e nem uma barrinha de cereais. Tudo o que você pedir para comer é cobrado no cartão de crédito. Ai entendemos porque todos levavam lanchinho.

Como saímos
De carro para San Diego. Combustível em torno de US$ 3 o galão.

Hotel
Fizemos Couch Surf na casa da Joan Durham. Ficamos perto de Venice Beach.

Passeios
Dormimos duas noites em LA, a da chegada e a da partida para San Diego. Nesse único dia que passamos em LA fomos andar por Venice Beach que vale a pena. É uma diversão ver tantos hippies, doidos e as lojas oficiais que vendem maconha.

Movimentar-se na cidade
Como todas as cidades americanas, é fácil. É muito difícil, de carro, errar caminhos ou não poder fazer retornos quando erramos.

Dicas
Vou complementar quando voltarmos.

San Diego
É uma cidade muito gracinha e com duas atrações que queríamos muito ver: Balboa Park e USS Midway Museum. O centro também é muito bonito e é um lugar bom para andar a pé ou de bicicleta. É uma cidade grande na costa do Pacífico quase na fronteira com o México e com muita influência espanhola. É até possível só falar espanhol pela cidade toda.

Como chegamos
Vindos de Los Angeles e sempre de carro.

Como saímos
Para Las Vegas, pela rota 66, passando por San Bernardino para ver o primeiro McDonalds, por Barstow para ver o McDonalds dentro dos vagões. E também programamos essas paradas para descansar.

Hotel
Ficamos hospedados com os amigos Paul e Melanie e seus maravilhosos e educadíssimos filhos: Kaya, JT, Kamden e com mais duas garotinhas fofas das quais sentiremos saudades. Chamar essa casa de nosso melhor Couch Surf seria um insulto a eles porque foi uma hospedagem magnífica.

Passeios

USS Midway Musem
Pagamos US$ 10 pelo estacionamento do dia todo que inclusive você pode ir passear pela cidade e deixar o carro lá e US$ 20 cada pela entrada. O museu é um porta aviões de verdade que foi mantido com tudo o que havia lá e acrescentaram aviões e helicópteros de todos os tipos. Para quem gosta do assunto é imperdível. Passamos 7 horas andando por todos os compartimentos: hospital, cozinha, alojamento dos chefões e dos marinheiros, refeitórios nos três decks do navio. Eles também têm veteranos, que foram pilotos de verdade, dando explicações como funcionava a decolagem e a aterrissagem no porta aviões. A entrada já dá direito a um áudio tour com idioma a escolher. O navio tem 69.000 toneladas de peso e custou US$ 90 milhões quando foi construído em 1945 e quando era muito grande para o Canal do Panamá. Foi aberto ao público em 2004 e já teve mais de 5 milhões de visitantes. Para a visita render faça primeiro a visita a ponte porque as filas vão ficando maiores conforme o dia passa.

Balboa Park
É onde fica o San Diego Zoo que custa US$ 48. Como custa caro e não tínhamos mais que três horas para visitar não fomos, mas vale a pena. O parque é grátis e o estacionamento também. O parque é enorme (490 hectares), têm museus (creio que mais de quinze e pagos), imensa área verde, jardins diferentes, ciclovias, lojas e restaurantes, teatros e é um dos mais antigos nos EUA. Fomos de carro e levamos as bicicletas e andamos pelo parque todo. Dali demos uma esticadinha até o centro, Gaslamp District, de bicicleta mesmo.

Las Vegas
Também não precisa de apresentação. É uma cidade cara, kitsch, muita gente diferente, muita luz e muita cafonice. Como queríamos ir até o Grand Canyon e ela fazia parte da rota passamos, mas não voltaria a menos que fosse para assistir aos shows. Os shows valem a visita. Para quem gosta de lojas de grife, caras e bonitas também é o lugar. É uma cidade curiosa, cada cassino com um tema, uma capela para casamentos, um buffet e um teatro onde os shows acontecem. É comum andar nas ruas e ver noivas vestidas para o casamento.

Como chegamos
A primeira vez: De carro vindos de San Diego usando a Rota 66 (apenas alguns quilômetros). Passamos por San Bernardino para ver o primeiro McDonald´s, pela Rota 66 para ver o Museu da Rota 66 e por Barstow para ver o McDonald´s dentro do vagão de trem. Antes de chegarmos a Vegas paramos nos shoppings tipo Outlet de Primm.
Da segunda vez: De carro vindos de Kanab, Utah. Passamos novamente pelo Zion Park para rever o que perdemos quando escureceu, fizemos algumas trilhas, paramos novamente no Lynns para almoçar e chegamos a Vegas às 16:00.

Como saímos
A primeira vez saímos para Kanab em Utah. No caminho paramos em Hurricane (no supermercado Lynns) para almoçar e fazer compras e depois chegamos ao Zion Park onde ficamos até escurecer. Chegamos a Kanab a noite.
Da segunda vez saímos para Yosemite. Passamos no Death Valley e tivemos que parar em Ridgecrest para dormir. A estrada mais rápida estava fechada pela neve. Dia seguinte continuamos viagem para Yosemite.

Hotel
Hooters Casino Hotel
http://www.hooterscasinohotel.com/
Hotel cassino igual aos outros hotéis típicos do padrão americano com cama king size, varanda de onde era possível ver a piscina e secar sua roupa, mesa e cadeira, armário de roupas e lugar para pendurar roupas. Banheiro grande com banheira e chuveiro, água quente e abundante, AC, wi-fi no quarto e rápida, TV a cabo, cafeteira com café e complementos, água potável todos os dias. Hotel limpo diariamente com fornecimento de shampoo, sabonete e toalhas. O hotel tem um cassino que é igual a todos, exceto pelas meninas padrão Hooters. O hotel tem restaurante que nós não usamos. A piscina é uma delícia e fornecem as toalhas king size. Estacionamento gratuito. Atendimento bom. Bem localizado a três quadras da Strip. Pagamos US$ 51 pelo quarto com banheiro privativo em uma super promoção de baixa temporada e meio de semana . Ficamos no quarto 505 que tinha vista para a piscina.

Downtowner Motel
129 N. 8th St., Las Vegas, NV 89101 (Downtown)
Localização boa e só isso. Cuidado: fomos picados por percevejos. Ficamos em dois quartos diferentes. O de número 70 na parte mais antiga do hotel. Tem cama grande, geladeira, microondas, wi-fi no quarto, TV a cabo e com um horrível cheiro de mofo misturado com cigarro Quando chegamos o quarto estava sujo. Nesse quarto eu fui mordida por percevejos durante a noite. Já tive essa experiência antes, mas dessa vez a reação foi bem maior. Fiquei com o rosto, mãos e braços inchados e vermelhos. Não sei se foi o tipo de percevejo.
Mudamos de quarto para a ala mais nova. Nós ficamos no quarto 156 com cama, criados mudos, banheiro mais novo e limpo, armário, com TV a cabo e AC (não testamos). O corredor cheira a cigarro e desinfetante horrível, Fornecem shampoo, sabonete, toalhas. Água quente e abundante nos dois quartos. A atendente da recepção é extremamente simpática. O motel também é usado como moradia para pessoas idosas que ficam na ala mais antiga do motel e que passeiam pelo estacionamento o dia todo. O hotel fica a dois quarteirões do início do lado leste da Fremont (que é onde tudo acontece), mas é um lugar meio estranho cheio de gente estranha. Eles têm estacionamento grande e grátis. À noite existem estranhos ruídos no hotel. O escritório abre às 8:00 e fecha às 17:00. Fora desse horário o que você precisar tem que chamar de emergência e pagar. Para sair e entrar nos blocos você precisa de uma chave. Não tivemos problemas de segurança. Pagamos US$ 51.40 no quarto com banheiro privativo. Se quiser mesmo ficar no hotel, fique na ala nova que é um pouco melhor.

Economy Inn & Suites – Ridgecrest
416 S. China Lake Blvd
Econômico e muito bom. Ficamos no quarto 16 com vaga para o carro exatamente em frente. Quarto grande, com mesa, duas cadeiras, uma poltrona, TV a cabo, micro-ondas, geladeira, cafeteira, wi-fi, AC (não testamos), chuveiro bom com água quente abundante. A banheira e o sanitário são separados da pia do banheiro. O quarto não tem armário para trancar, mas tem lugar para pendurar roupas. Está localizado a quatro quarteirões do Wallmart e perto dos restaurantes de comida rápida. Atendente extremamente simpática. Fornecem shampoo, sabonete, toalhas, pó de café com complementos (açúcar, adoçante e creme). Limpo. Não tivemos problema com barulho. Pagamos US$ 44 por quarto com banheiro privativo. Recomendo. Foi o melhor quarto de motel que ficamos.

Passeios

Downtown Las Vegas
É bom ir uma vez conhecer o centro de LV onde tudo começou. Melhor ir ao cair da tarde para ver as luzes acesas à noite. Todos os estacionamentos do centro são pagos e o mais barato foi US$ 2 a hora e fica perto do Fremont Experience. O lugar é feio, cheio de malucos, não tem lojas, os cassinos são iguais aos outros, mas sem temas. Tem uma tirolesa que passa no teto da Fremont (que é a rua principal, rua de pedestres com o teto fechado). Vá se tiver tempo para conhecer.

Strip e Hotéis Cassino
É o nome dado ao Las Vegas Boulevard. Ai estão todas as lojas, cassinos, shoppings, bares e restaurantes. Cada hotel / cassino tem um tema: tem o do Egito, de Veneza, de Nova Iorque. O tema está por fora e por dentro do hotel. Se esquecer do lado meio brega são magníficos. É possível perder um dia passeando por dentro de cada cassino. Todo hotel tem um teatro e uma capela com o estilo do hotel e eles deixam entrar e visitar. Todos os estacionamentos são gratuitos e liberados. Chamou atenção o Luxor (Egito), New York (que tem a loja da Hersheys), Bellagio (adorei). O Bellagio tem um show de águas dançantes a partir das 15:00 até às 24:00 de meia em meia hora (mais a noite de 15 em 15 minutos). Muito lindo e vale a pena. No Mirage também tem a erupção do vulcão a partir das 20:00 até às 24:00 de meia em meia hora. Muito lindo e vale a pena.

Shows
Tem uma quantidade imensa de shows, teatros, espetáculos de tudo. Compramos nossos ingressos para o Cirque du Soleil pela http://www.tix4tonight.com/ . Pela internet você pode ver os shows disponíveis e os descontos. É seguro, funciona, mas CUIDADO você compra apenas o voucher e depois terá que ir até o local do show e trocar o ingresso. Quanto mais cedo trocar mais chance de pegar um lugar melhor. Os descontos são muito bons. Se o show for muito concorrido é melhor pagar o preço cheio e comprar no teatro do hotel mesmo.

Buffets
É tradição que cada hotel bom tenha um buffet daqueles “coma até cair”. Você senta às nove da manhã e sai quando quiser, toma o café da manhã, almoça, lancha, etc. É de morrer. Compramos o voucher na mesma tix4tonight. Pagamos US$ 9 + 2 de taxa administrativa e os impostos no buffet. Fomos ao Monte Carlo. O buffet tem estações chinesa, italiana, lanches, mexicana, vegetariano, indiana, americana (com frango barbeque, corn and peas), omeletes, estação de massas feitas na hora, café da manhã, sorvetes, refrigerante / café / chá a vontade e sobremesas diversas além de frutas. Tem que reservar um dia para fazer isso porque depois você vai querer apenas dormir.

Movimentar-se na cidade
Andamos de carro o tempo todo e é muito difícil. De um lado está a Strip, Las Vegas Boulevard, com todos os hotéis cassino dos dois lados. Do outro está a I15 (autoestrada). Não é bem sinalizado e muitas vezes você entra em algo que pensa que é uma rua e acaba no estacionamento de um hotel. Só com GPS para cada trecho pequeno mesmo.

Dicas
– O Museu da Rota 66 fecha de terças e quartas. Planeje outro dia. Abre das 10:00 às 16:00 apenas.
– Se quiser economizar fique no centro da cidade de Las Vegas e vá até a Strip de carro. Todos os hotéis tem estacionamento (Self Parking) grátis.
– o combustível mais barato foi no posto AM PM da Tropicana Ave
– não deixe de ir a um buffet do tipo coma até se matar. Cada hotel tem seu buffet cheio de opções e que funciona o dia todo sem parada. Gostamos muito do Monte Carlo pela qualidade e pelo preço.
– os preços dos hotéis são bem mais em conta de segunda a quinta. Sexta os preços dobram. Planeje visitar durante a semana.

Kanab
É uma cidade pequena quase na divisa de Utah com o Arizona e é o ponto central dos parques aonde queríamos ir. Têm motéis mais baratos, supermercado grande, restaurantes, informações turísticas e fica meia hora do Zion (40 milhas), à uma hora e meia do Grand Canyon Norte (78 milhas), Antelope Canyon e à uma hora e meia do Bryce Canyon. A cidade em si já é uma graça e tem paisagens lindas. Fica no Kane County e a área é chamada de Grand Circle justamente por estar localizado na área central desses parques. Também é uma cidade onde filmavam os filmes do velho oeste e dos seriados de TV.

Como chegamos
De Las Vegas. No caminho paramos em Hurricane (no supermercado Lynns) para almoçar e fazer compras e depois chegamos ao Zion National Park onde ficamos até escurecer. Chegamos a Kanab a noite.

Como saimos
Saímos para Las Vegas passando novamente pelo Zion National Park para ver o lado leste do parque, a Zion-Mount Carmel Highway que passa dentro de um túnel enorme e que tem paisagens magníficas. Na chegada passamos por ali a noite e não vimos muito. Paramos novamente em Hurricane, no supermercado Lynns, para almoçar. Chegamos em Las Vegas à tardinha.

Hotel
Royal Inn & Suites
http://www.royalinnkanab.com/
Motel excelente com preço razoável. Ficamos quatro noites nesse motel e gostamos muito. Quarto com cama de casal, TV a cabo, wi-fi funcionando no quarto, frigobar no quarto e um micro-ondas no hall que podíamos usar, mesa e cadeiras, AC e aquecedor. Um armário cabideiro de plástico. Banheiro grande com chuveiro e água quente que acabava muito rápido. Limpam diariamente e fornecem toalhas, sabonete e shampoo. Motel limpo e organizado. Estacionamento grátis e café da manhã incluído (waffles feita na hora, aveia, cereais, torradas branca / integral, muffins de dois tipos, sucos de dois tipos, café, leite e chocolate, manteiga e geleia e torradeiras e micro-ondas para serem usados. Pratos e talheres descartáveis). Equipe extremamente atenciosa e agradável. Eles são indianos e falam inglês com mais dificuldade e nos atenderam bem. Supermercado ao lado. Pagamos US$ 50 por quarto com banheiro privativo e café da manhã.


Passeios

Zion National Park
Aberto diariamente, Zion é uma ótima oportunidade para você fazer uma caminhada gostosa em meio aos rochedos e ver paisagens espetaculares.
O Zion é um parque maravilhoso, veja o post sobre ele. Como todos os parques nacionais, tem um serviço de Informações Turísticas excelente com informações, mapas, indicações, etc. Passe por lá para pegar os mapas.
Ao todo o parque tem dezoito trilhas com ida e volta. Escolha a sua de acordo com o tempo que você dispõe, o que você quer ver e a dificuldade. Algumas são primitivas e outras requerem licença. As trilhas são classificadas por fácil, moderada e vigorosa. Eu aconselho pelo menos a Riverside Walk de 1.5 horas e a Emerald Pools de 1 hora. Em alguns dos pontos de interesse você consegue chegar com carro mesmo.
Dentro do Parque há uma linha de ônibus que circula gratuitamente desde o Centro de Visitantes, passando pelos pontos turísticos (Canyon Junction, Emerald Pools Trails, The Grotto) e terminando no Templo de Sinawava e que não funciona no inverno. Funciona como um hop on / hop off. Funciona de abril até outubro.
No Zion as opções de alimentação são limitadas, caras para os padrões locais então leve seus lanches e sua agua. Não se esqueça do protetor solar. Para algumas trilhas é necessário colocar os pés na água.
O parque tem horários diferentes para cada estação, mas sempre abre às 8 da manhã.
Não deixe de percorrer a Zion – Mt Carmel Highway porque as vistas são lindas.
O Zion merece no mínimo dois dias

Grand Canyon North Rim
O centro de visitantes do Grand Canyon fica aberto das 8:00 às 18:00 diariamente. No inverno eles reduzem os horários. Deram-nos informações, mapas e lá também tem loja de presentes e exibições. O mapa mostra os pontos altos da visita. Dirigimos até o ponto mais extremo do Cape Royal e aí fomos voltando. Nesse trajeto vimos a Angel´s Windows e o Point Imperial (o ponto mais alto da parte norte). Todas as vistas marcadas têm trilhas e a maioria tem lugares para você sentar, descansar e comer. As melhores vistas estão nesse caminho do Cape Royal e você pode ir parando e ter vistas e perspectivas diferentes do cânion. Não perca a trilha do próprio Cape Royal porque ela é pavimentada, plana e curtinha, mas foram as melhores vistas do Rio Colorado.
Existem outras trilhas mais longas nas áreas de florestas. Muitos visitantes fazem trilhas no parque como, por exemplo, a Wildforss Trail (16 km), Uncle Jim’s Trail (8 km), the Transept Trail (4.8 km), e a North Kaibab Trail. Ao todo são 13 trilhas. Se for o que você gosta, estiver preparado e tiver o tempo eu aconselho. Fora do inverno você pode alugar mulas para ir mais fundo no cânion.
Perto do pequeno hotel que existe lá também tem uma pequena trilha que passa por floresta típica da região.
Creio que fora do inverno é possível ver muitos animais. Não vimos nenhum. Fora do inverno os cuidadores do parque têm inúmeros programas para apresentar o parque. Vá cedinho para aproveitar o dia e leve muita água e comida.

Bryce Canyon
Se você está por essa região é um parque imperdível. Abre o ano todo e sempre às 8:00 da manhã. Os horários de encerramento variam de acordo com a estação. No inverno não tem o ônibus / shuttle de passeio do parque. Você pode fazer de carro os trinta quilômetros da estrada panorâmica acompanhando a borda do parque ou optar por caminhar entre as formações e obras de arte de qualquer dos 96 quilômetros de trilhas. Há passeios curtos como o Queen’s Garden (três quilômetros) e trilhas mais longas como o Fairyland Loop (treze quilômetros); ou desça até Wall Street e admire-se com os seus altos ‘arranha-céus’. Os 14 pontos de vista, acessíveis por carro, estão espalhados ao longo dessa estrada cênica que passa pela beirada do planalto. Quando você chega ao parque eles te entregam um mapa e folheto com detalhes de todos os pontos para parar para as paisagens e com todos os começos de trilha para caminhadas ao redor do parque, para que você possa planejar a sua visita. Nós começamos seguindo a estrada para a área do Bryce Amphitheater, onde está a maior concentração de pontos de vista panorâmicos.
Vá cedinho para aproveitar o dia. Eles dizem que em 4 horas você vê tudo, mas não creio que seja possível. As vistas do norte têm mais hoodoos e as do sul mais paisagem. Ao todo são 5 trilhas fáceis, 4 trilhas moderadas e 4 difíceis. No Centro para os Visitantes tem um museu, banheiros e wi-fi.
Leve água e comida porque não existe muita oferta no parque. Tem alguns bebedouros. Vá com botas de trilha. Bem agasalhado no início do inverno. Leve uma sacolinha para o lixo.
Entramos no mesmo passe anual comprado em Zion por US$ 80 por carro.

Cartaz e parada do ônibus gratuito do parque
Cartaz e parada do ônibus gratuito do parque

Antelope Canyon
Ken’s Guided Tour of Lower Antelope Canyon
http://lowerantelope.com/
Pagamos US$ 28 por pessoa

Lugar imperdível, excursão muito simples.
Nós já viajamos grande parte do mundo e todas as vezes em que a excursão / o lugar é explorado por nativos nunca é bom.
Eles sempre exploram o máximo que eles podem, entregam o mínimo necessário e sempre parecem estar fazendo o grande favor de mostrar aquilo que pertence a eles apesar de pertencer ao mundo. Nós pensavamos que na América capitalista seria diferente. Nosso engano.
Pros:
– o lugar é lindíssimo
– tudo funcionou conforme combinado e no horário combinado (fora de temporada)
– as excursões saem de hora em hora (estranho porque duram 1:15)
Cons:
– só aceitam dinheiro vivo
– a excursão custa US$20 com uma taxa extra de US$8 taxa por uso do local (Navajo Permit)
– eles anunciam 1:15 de excursão, mas não dura tudo isso
– fomos apressados durante todo o passeio
– não nos deram nenhuma descrição, relato ou história sobre o lugar, apenas dicas de como tirar boas fotos
– muito rudes no atendimento ao público
Atenção:
– não leve mochilas ou peças grandes porque existem lugares bem estreitos
– leia as instruções que eles enviam cuidadosamente para não ser surpreendido com nada.
– é oferecida uma excursão só para fotografia e fotógrafos por US$ 50
– aproveite cada segundo porque é bem rápido
– a terra Navajo opera num fuso horário diferente do Arizona. Cuidado para não chegar atrasado.
– coma e vá ao banheiro antes porque é uma hora corrida

Page / Glen Canyon / Horseshoe Bend / Lake Powell / Glen Canyon Dam
Fomos pela Hwy 89 – estrada cênica que vai de Kanab a Page
Page é a cidade de onde você pode visitar o Antelope Canyon e os lugares acima. Passamos pelo Centro de Turismo que fica na 6N Lake Powell Blvd. Como sempre atendimento ótimo. Eles que nos indicaram a Ken´s Tour para o Antelope Canyon e nos forneceram mapas dos arredores.
Glen Canyon é um parque / área recreacional enorme, com 1.25 milhão de acres, lindo, cheio de atividades na água, muitas oportunidades para fazer trilhas e que vale a visita. Entramos com o nosso passe dos parques.
Horseshoe Bend está localizado cerca de quatro milhas ao sul de Page, Arizona na Hwy 89, deve-se olhar para uma pequena tabuleta marrom em que se lê “Horseshoe Bend Overlook”. É fácil perder essa tabuleta, por isso tem que procurar atentamente. Se você estiver indo para o sul a partir de Page, há uma placa no lado direito da Hwy 89 que marca a sua saída. Faça uma curva para oeste na tabuleta, e em menos de um quarto de milha a estrada deve terminar em um pequeno estacionamento de terra. Porque este local é desconhecido para a maioria dos turistas o estacionamento normalmente tem abundância de lugares vazios. A partir do parque de estacionamento, o mirante é 3/4 de uma milha de distância. Há uma trilha bem marcada que leva ao mirante. No entanto, a trilha consiste principalmente de deserto de areia solta e pode ser uma caminhada difícil. Então, levar muita água ou outros líquidos.
É tudo junto e misturado, tudo perto. O Glen Canyon, o HorseShoe e o Lake Powell que fica no Glen Canyon. A barragem também é ali. Programe bastante tempo para poder passear sem pressa.
Lake Powell é o segundo maior lago artificial dos Estados Unidos e fica dentro do Glen Canyon National Recreation Area.
Glen Canyon Dam – barragem serve para represar a água para atividades recreacionais, é fonte de água para os estados mais ao sul e também para produzir eletricidade. É uma vista sensacional.

Movimentar-se na cidade
A cidade é pequena e do hotel era possível ir a pé até o supermercado ao lado e alguns restaurantes e lanchonetes. A oficina de turismo também era acessível andando. Para todos os parques é necessário carro.

Dicas
– Em Kanab também tem um Visitor Center na 100 S que tem um atendimento excelente
– A entrada para o Zion, e para a grande maioria dos parques nacionais Norte Americanos, é paga e custa US$25 por carro por até uma semana. Para quem pretende visitar vários parques na mesma viagem, vale a pena comprar o passe anual, que custa US$ 80 e é válido por 12 meses. Esses passes podem ser comprados na entrada do parque.
– Como visitaríamos inúmeros parques nacionais optamos por comprar o passe anual por US$ 80 e que vale por um ano. Cada parque individual sairia por US$ 25.
– Kanab fica a 30 minutos do Zion National Park
– Tome cuidado com as mudanças de fuso horário porque Colorado e Utah estão uma hora antes que a Califórnia e o Arizona.
– O Zion merece no mínimo dois dias
– Para o Grand Canyon vá cedinho para aproveitar o dia e leve muita água e comida.
– Caso você queira ver o North and South Coyote Buttes, conhecido como The Wave, você pagará US$ 7 em dinheiro vivo, e apenas 20 pessoas são permitidas por dia. A loteria acontece no centro de visitantes do Grand Staircase Escalante exatamente às 9 am um dia antes do seu dia pedido.

Yosemite
O parque de Yosemite recebe a visita de cerca de três milhões de visitantes por ano, grande parte somente para ver o vale do Yosemite, mas no parque existem muitas outras atrações, pois é reconhecido internacionalmente pelos seus espetaculares desfiladeiros de granitos, cachoeiras, sequóias, trilhas e fauna. Vale a pena a visita.

Como chegamos
Vindos de Las Vegas. Paramos no Vale da Morte para conhecer, paramos em RidgeCrest para dormir, saímos cedinho para Yosemite e sempre de carro.

Como saímos
Para Lake Tahoe.

Hotel
Em RidgeCrest: Motel Economy Inn Suites (leia Las Vegas)
Em Yosemite:
Yosemite Bug
Albergue normal padrão HI. Quarto com camas de metal, limpo, mesa e cadeira, armários onde é possível usar cadeado, prateleiras, dois beliches: um com duas camas de solteiro e outro com uma cama de casal e a parte de cima cama de solteiro. Bem iluminado, mas com pouca vista para o exterior. Forneceram lençóis e tolhas. Wi-fi funciona no quarto, mas não tem aquecedor. Tem quantidade suficiente de tomadas no quarto. O albergue tem uma cozinha muito bem equipada, com tudo o que é necessário e sempre limpa. Para os que não querem cozinhar existe a opção de um café muito acolhedor que serve café da manhã por US$ 7 e pratos entre US$ 12 e 17. A maioria das opções é para os vegetarianos. Recepção muito boa. Ficamos no prédio Bodie cujos banheiros ficam no piso de baixo. Banheiros limpos e não tivemos qualquer problema para o banho que sempre teve água quente e abundante. Não existem lugares para colocar nada durante o banho tudo tem que ficar no chão. Estacionamento gratuito. Mesmo no feriado não faltaram vagas. Fica a 20 milhas da entrada do parque. Pagamos US$ 61.05 por quarto privativo sem banheiro. Procure não ficar no Cathedral Lake (nome do quarto) porque é o primeiro do corredor. Peça para ficar no meio do corredor onde o barulho da porta de entrada é menor. Fique no Bodie Room porque os banheiros e a lavanderia ficam no andar de baixo e você não terá que andar a noite para ir até os banheiros. É só descer a escada.

Dicas
– Abasteça-se de comida e gasolina antes de chegar próximo ou no parque. Preços exorbitantes.
– Para quem está de carro, durante o verão, primavera e outono, grande parte das rodovias ficam abertas. Somente no inverno a via mais bonita e de maior altitude, o Tioga Pass fecha e dependendo por onde você chega vai aumentar bastante sua jornada. São 4 entradas principais: ao sul a Mariposa Grove (South entrance, para quem vem de Las Vegas e foi o nosso caso), a oeste pelo El Portal (Arch Rock, para quem vem de Los Angeles), oeste pela Big Oak Entrace e ao norte pelo Tioga Pass (para quem vem de San Francisco)
– No inverno você tem que usar correntes. Lembre-se que quando você aluga um carro você não pode fazer isso, i.e., não deixam você colocar as correntes no carro. E se você não as coloca você vai levar multa.
– Existem duas cidades perto do Yosemite: Oakhurst e Mariposa e acredito que ficar nelas é mais barato que ficar no parque. Não achamos preço menor que o Yosemite Bug que estava em promoção. Do Bug até o parque era meia hora que é o mesmo tempo de Oakhurst até o parque. A economia compensa o que você vai rodar todo dia.
– De Merced saiu um ônibus que passa por Mariposa, Oakhurst, pelo Yosemite Bug até o Yosemite Valley. A passagem ida e volta custa US$ 25. Chegando lá você pode usar o ônibus gratuito do parque. Chama-se HWY 140: http://www.yarts.com
– Se você estiver de carro também pode deixar o carro em um dos estacionamentos do parque e usar o ônibus gratuito. É mais relaxante e mais prático.
– Evite sair do parque muito tarde no outono e inverno porque a luz acaba logo e as estradas são cheias de curvas.
– Recomendo mais de um dia com certeza. Se você gosta de trilhas fique uma semana pelo menos.
– Dentro do parque existem opções de hospedagem. Acampar só durante verão e primavera. Mas estão sempre cheias, necessitam de reserva com bastante antecedência e é bem mais caro. E tem os ursos.
– Dentro do parque existem 10 trilhas: 4 fáceis que foram as que nós fizemos e foram lindas; 1 moderada e 5 que levam de 6 a 12 horas. Algumas precisam de uma permissão especial. Consulte: http://www.nps.gov/yose/planyourvisit/valleyhikes.htm
– no parque tem combustível, alimentação, banheiros, tudo. Tudo a um preço alto, mas existe se você precisar.
– vá de roupa e sapato apropriados e leve bastante água e comida. Muito cuidado com os ursos.

Lake Tahoe
O Lago Tahoe é um lago enorme de água doce que fica nas montanhas da Serra Nevada na divisa entre a Califórnia e Nevada. Fica a uma altitude de 1897 m e é o maior lago alpino da América do Norte. Têm 500 metros de profundidade, o que faz dele o segundo mais profundo do país. É conhecido pela transparência de suas águas e pelo panorama formado pelas montanhas que o cercam de todos os lados. A área em torno do lago é conhecida como Lake Tahoe ou simplesmente Tahoe.
O lago é uma das principais atrações turísticas dos estados da Califórnia e Nevada. Principalmente para esquiar. É lindo e eu recomendo.

Como chegamos
Vindos de Yosemite ajudados pelo GPS.

Como saimos
Para San Jose, California.

Hotel
É um hotel / motel simples e muito bem localizado (a uma rua do centro / gondola Heavenly e duas ruas distantes dos cassinos), limpo, organizado, seguro. Quarto amplo com cama queen size, aquecedor, AC, geladeira, microondas, cafeteira (canecas, café e complementos), mesa, cadeira e poltrona, armário com muitos cabides, um criado mudo e poucas tomadas, duas cômodas num total de 7 gavetas. Tem tábua de passar e ferro. Banho excelente com água quente suficiente (fornecem sabonete, shampoo, condicionador, loção e toalhas). Banheiro tem secador, luz para tomar sol. O motel tem piscina (que não utilizamos por ser outono) e entrada / passe para a praia (caso contrário teríamos que pagar para entrar). Eles servem café da manhã perto da recepção. O local é pequeno mas o café da manhã tem bagel, geleia, manteiga, granola, cereais, mingau de aveia, café, leite, chá diversos e chocolate quente. Ficamos três dias e não tivemos problema com limpeza ou segurança. O atendimento da recepção foi muito bom. O hotel aceita cães e tem estacionamento grátis. Ficamos de frente para a rua e no andar inferior. Não tivemos problemas com barulho. Pagamos US$ 37.65 por quarto com cama queen e banheiro privativo.

Passeios
Se for fora de temporada como nós fomos, o melhor a fazer é dar a volta ao lago entrando em todas as atrações turísticas, trilhas e caminhadas. Fizemos isso de carro, não sei se é possível fazer com transporte público. Imperdível mesmo é a Emerald Bay que é o ponto das fotos. Leve água e comida. No outono vá agasalhado porque venta muito.

Dicas
– Praia de Lake Tahoe South custa US$ 5. A entrada estava incluída no preço do nosso hotel.
– Tudo fechado no outono: esqui, gondolas, teleféricos. Nada funciona.
– Cidade normal americana com todas as lojas, bancos e supermercados. Fácil.

San Francisco
Também é uma cidade que dispensa apresentações tal a quantidade de filmes e series que são feitos ali. É a cidade da Golden Gate, da Lombard Street, do Fisherman´s Wharf e do bondinho. Imperdível mas merece bem mais que um dia. Coloque pelo menos três.

Como chegamos / Saímos
De trem de Morgan Hill. Caltrain. Ida e volta US$ 18.5 a partir de Tamien. O trem é extremamente confortável e creio que levamos quase duas horas.

Passeios
Compramos o passe de ônibus e bonde para o dia todo por US$ 15. Permite você andar de Cable Car e ônibus durante todo o dia. Fizemos o trajeto Powell – Hyde a partir da Union Square. É o percurso normal para quem tem apenas um dia porque vai até a Lombard Street e a Golden Gate.

Monterey e Carmel
Duas cidades bem graciosas que ficam perto de San Francisco ou na HW1 no caminho de SF para LA. Se estiver passando vale a pena conhecer. Não acho que vale algum desvio.

Como chegamos / saimos
Viemos de Morgan Hill, de carro, ajudados pelo GPS. Nada muito complicado.

Passeios
Andamos pela Cannery Row (a rua mais importante, famosa e cheia de lojas) em Monterey. Não fizemos a 17 Mile Drive porque custava uns US$ 10. Andamos por Pacific Grove que é outra cidade apesar de estar grudada em Monterey. Depois pegamos o carro e fomos para Carmel. Carmel é olhar a praia e dar uma caminhada pela cidade.

Dicas
Em Monterey é possível estacionar sem pagar nas ruas  por 1 ou duas horas dependendo do local. Estacionamos perto do Centro de Informações Turísticas. Em Carmel também. Se você planeja visitar o famoso aquário de Monterey, calcule ficar mais que um dia na cidade.

HW1 – Pacific Coast Highway
A Califórnia é uma caixinha de boas surpresas e para nós, a melhor foi a Highway 1 ou Pacific Coast Highway: a maior estrada costeira do estado e uma das mais famosas e fotografadas do mundo. Ela tem 730 km de extensão e mais de 30 pontes que separam San Francisco de Los Angeles. É cheia de belas paisagens, mirantes, cidadezinhas simpáticas, parques estaduais, restaurantes e pontos turísticos que valem à parada. Imperdível.

Como chegamos / saimos
Saimos de Morgan Hill, entramos na HW1 e saímos para Lompoc. Depois voltamos e dirigimos até LA.

Hotel
Budget Inn – Bom, limpo e tranquilo.
Ficamos apenas uma noite nesse hotel / motel na passagem entre San Jose e Los Angeles. Quarto com duas camas queen, AC e aquecedor, geladeira, micro-ondas, cafeteira (com café e todos os complementos para o café), mesa, duas cadeiras. Banho bom com água quente suficiente. O hotel fornece sabonete, shampoo, condicionador e toalhas. Tem TV normal com cabo. Excelente atendimento da recepção. Limpo, sem barulho algum e seguro. Estacionamento gratuito. O hotel fica na estrada e por isso é fácil chegar até ele e estacionar. A cidade é pequena, mas graciosa. Fica a dois quarteirões do Wallmart e de um centro de compras. Wi-fi no quarto e grátis. Pagamos US$ 51.51 para quarto com duas camas queen e banheiro privativo.

Passeios
A rodovia em si já é o passeio. Não perca a Rocky Creek Bridge e nem a mais famosa de todas a Bixby Creek Bridge. A melhor parte da rodovia é Monterey – Carmel – Big Sur que são 70 kms de puro delírio de beleza. Não perca os elefantes marinhos, na altura de San Simeon (cerda de 5.5 milhas), no Farol Piedras Blancas. Nessa região também fica o Hearst Castle.

Dicas
– faça o trajeto descendo de SF. A vista é mais linda e você aproveitará mais. O Pacífico ficará a sua direita e será mais fácil estacionar nos mirantes.
– nos EUA os motoristas brasileiros não precisam de carteira de habilitação internacional. A CHN brasileira é suficiente.
– abasteça antes de começar o trajeto. Não vimos nenhum posto pelo caminho. Tem nas cidades, mas você terá que entrar.
– também não vimos sanitários ou quaisquer outras facilidades ou cantinhos escondidos.
– as reservas são fechadas e pagas, inclusive a Point Lobos onde tem leões marinhos.
– caso você vá passar por Monterey, Carmel, entrar no Hearst Castle, parar nas vinícolas, etc. , calcule bem mais que dois dias. Não corra, tudo é muito lindo para ser desperdiçado.
– câmera boa e binóculos. Bateria totalmente carregada e cartão de memória.
– se você tem enjoos, vá preparado porque tem várias curvas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s