Bryce Canyon – um tesouro da natureza

Com esse fundo maravilhoso tudo fica bonito
Com esse fundo maravilhoso tudo fica bonito

O Parque Nacional Bryce Canyon é um parque pequeno quando comparado aos outros. São apenas 145 km². Mas é um estrondo de beleza. É por isso que recebe 1,5 milhão de visitantes todos os anos. É uma terra de pináculos de rocha delicadamente esculpida em tons do sol. Não é desse mundo.

O Bryce Canyon National Park tem esse nome por conta de Ebenezer Bryce, um dos primeiros colonos mórmons na área e construtor naval que se instalaram no vale em 1870. Ele era originalmente da Escócia, construiu estradas e começou a vida aqui, mas era notoriamente mau humorado sobre sua casa espetacular, descrevendo-o como “um inferno de um lugar para perder uma vaca”. Para perder uma vaca realmente não é o lugar apropriado, mas observar e se transportar para outro mundo aí sim esse é um lugar maravilhosamente lunático.
O nome cânion é enganoso porque o parque não é um cânion. É sim uma série de anfiteatros ao longo da borda de um planalto com 2.800 metros de altitude, repleto de milhares de formações rochosas chamadas hoodoos. Eles são formados quando o calcário é erodido pelo vento, geada e chuva, moldando-a em variedades de gargantas, barbatanas, arcos e pináculos. O óxido de ferro na rocha dá matizes vermelhos, laranjas ou amarelos bem vívidos. Fomos durante o inverno e creio que no verão, com o sol devem aparecer muito mais cores e tons.
Os hoodoos multicoloridos variam do tamanho de uma pessoa até 10 andares de altura e eram vistos pelos índios Paiute como os restos petrificados do “povo da lenda”, transformados em pedra pelas suas malvadezas e para sempre congelados no tempo por um deus vingativo. Eu imaginava anões e elfos, e apóstolos, e catedrais, e toda sorte de outras criaturas, todos de pé lado a lado com as colunas em camadas vermelhas poderosas.
Como o Bryce fica muito mais alto que o Zion, o clima é mais frio e pegamos frio e neve. Cada clima com sua beleza. Você pode sentir a altitude também de outras formas; os pontos de vista são até em torno de 8000-9000 pés de altura, por isso mesmo em um dia ensolarado deve ser frio. No inverno sentimos falta de mais agasalho.
A principal maneira de explorar Bryce Canyon é a partir de uma série de mirantes e trilhas ao longo da parte superior do caminho. Foi o que fizemos. Encontramos poucos animais: veados, bisões e alguns pássaros preto que insistiam em sempre estar por perto e que depois descobri que eram corvos. Vimos alguns esquilos doidos, pulando muito. Tanto que não deu para fotografar.
Como sempre, as fotos falam por si.

O destino final era o Anfiteatro Bryce que é onde ficam os pontos mais famosos, a melhor trilha que é a Queens / Navajo de 5 km e as vistas mais que espetaculares.

E ai começamos a trilha. Sem preparo, com pouca roupa, um frio medonho que foi seguido por neve em quase todo o percurso. Achei que iria morrer congelada antes de chegar ao calorzinho do carro.

E depois de um dia inteiro no parque, no frio, deslumbrados, fomos de volta para o hotel. Tristes porque não planejamos mais tempo na região.

E filmamos a neve para lembrar depois. Criamos memórias para a vida toda. E esse foi nosso domingo. Que benção.

Anúncios

2 comentários sobre “Bryce Canyon – um tesouro da natureza

  1. Wilde

    Imagino o frio que vocês sentiram, mas o vídeo e as fotos com neve ficaram maravilhosos. Realmente são para toda a vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s