Informações práticas – Peru

O Peru precisa de apresentação para os brasileiros. Surpreendi todos os amigos com as fotos e os lugares que encontramos por aqui. Nós estamos próximos, mas não temos a noção que o país seja tão lindo, tão barato e seguro. As paisagens são magníficas. O Peru tem montanhas, tem deserto, tem praias e tem Machu Picchu. Viajar aqui foi fácil. Viajamos sempre de ônibus que é bom, tranquilo, barato, cobre todas as regiões do país. As rodoviárias são tranquilas e bem ajeitadas. As estradas, surpreendentemente, são ótimas. Muitas curvas, muitas montanhas e por isso demoram mais e mesmo assim muito boas.
Em todas as outras viagens não reservamos hotel, quando chegamos procuramos o melhor e mais barato. Aqui continuamos fazendo o mesmo. Os hotéis ficam sempre perto da Plaza de Armas e os táxis são baratos. Conseguimos sempre bons preços de hotéis. Conseguimos manter nosso orçamento. A comida é uma delícia mas é difícil achar restaurantes baratos e limpinhos. Existem grandes supermercados e os mercados centrais são fartos e baratos.

Moeda
PEN – Nuevo Sol Peruano

Dicas
– Todas as cidades tem o iPeru que é o centro de informações turísticas. Em toda cidade que chegar vá até eles primeiro. Nunca tivemos atendimento turístico de tão excelente qualidade. Eles têm todos os roteiros, indicações, mapas, são extremamente bem treinados, ensinam tudo com todos os valores e sempre de todas as formas possíveis. Isso feito você nunca ficará perdido ou será enganado. No primeiro que você for, pegue o folheto com o endereço de todos os outros do Peru.
– Nós pedimos vários Couchs aqui e o tempo de resposta é bem ruim e eles entendem o Couch como um serviço pago. A maioria cobra. Como em todos os lugares para casal é ainda mais difícil. Não conseguimos Couch. Apenas um que tivemos que pagar.
– Pagamos todos os hotéis em dinheiro. Não sei se no cartão é mais caro.
– Nossos supermercados favoritos: Plaza Vea em quase todas as cidades e tem também o Metro e nas cidades maiores tem Wong. Em alguns Plaza Vea tem comidas preparadas que é quase um quilinho com comida excelente, barata e limpinha.

Eletricidade
220V-230V / 50 Hz

Transporte nas cidades
Usamos de tudo mas principalmente andamos a pé. Eles tem tuk-tuk, lotações, vans, ônibus de linha, em Lima tem um fura fila. É um lugar para andar de transporte coletivo. E não é caro.

Segurança
Completa. Não tivemos nenhum problema.

Cusco
Cidade histórica e bonita. Chegar a Cusco é chegar ao Peru porque todas as fotos te remetem a essa cidade ou a Machu Picchu. Ficamos 10 dias.

Como chegamos
De avião, vindos de Lima. Voamos de Latam, São Paulo até Lima e de Lima a Cusco direto. Descobrimos que ficava bem mais barato assim e dessa forma poderíamos começar em Cusco (sul) e terminar em Trujillo (norte). Pagamos PEN 12, US$ 3.60 de táxi do aeroporto até a Plaza de Armas.

Como saímos
De ônibus para Puno pela Cruz del Sur (uma das melhores empresas de ônibus do sul). Pagamos PEN 60 cada, US$ 18. Eles têm um terminal separado com café, banheiro e wifi. Revistam todas as bagagens. Faça sua bagagem como se fosse para avião. Viagem tranquila com paisagens lindas. Fornece manta, lanche e tem rodo moça. Táxi de Cusco até a rodoviária PEN 5, US$ 1.5

Hotel
Fizemos Couch Surf na casa do Manuel. Pagamos PEN 30, US$ 9

Passeios

A cidade de Cusco
Cusco é uma cidade linda, pequena, tudo é fácil. Não deixe de visitar o Mercado San Pedro que é o mercado central onde tem frutas, restaurantes, doces, folha de coca, pães, tudo. E é muito pitoresco. Também fizemos o Free Walking Tour. Um dos dias fomos até o Cristo Blanco e Sacsayhuaman (leia dicas). Também existem museus muito lindos e pagamos apenas para ir ao Qorikancha (Templo do Sol). Em Cusco também vimos o melhor e mais barato mercado de artesanato que se chama Centro Artesanal Cusco – Mercado de Artesanias e fica na Av El Sol. Não sou especialista e então tudo me pareceu de muita qualidade com preços bons e negociáveis. É aquele artesanato com cara de Peru. Visite também o Bairro de San Blas, que fica perto da Plaza de Armas, que tem um mirador muito bonito, é um bairro de artesãos, pubs e bares graciosos. Se tiver tempo fique andarilhando por ali e passe pelo Museu Taller Galeria Arte Olave que tem peças maravilhosas. Fica na Plaza San Blas 651.

Machu Picchu
MP dispensa apresentações. É imperdível e é o motivo de ir até Cusco. Caríssimo, difícil e vale cada dólar gasto. Escolhemos a forma de ir de custo intermediário, por nossa conta e que fosse de maneira segura. Saímos de Cusco para Ollantaytambo em van de transporte normal da cidade que nos deixaria na estação de trem. Dali pegamos o trem até Águas Calientes (a cidade próxima a MP) e depois pegamos um ônibus até MP.
Você terá que dormir uma noite em MP para poder pegar o ônibus pela manhã. Manhã mesmo. Pegamos nosso ônibus às 6 da manhã e a fila já estava em quatro quarteirões. Anda rápido. Águas Calientes é uma cidade graciosa, mas não merece mais que meio dia ou um dia inteiro.
Os ônibus saem um atrás do outro e para voltar também. Preste muita atenção no horário do ônibus para não perder seu trem de volta. Não é permitido comer dentro de MP mas é possível comer do lado de fora e entrar novamente. O banheiro é pago: PEN 1. Não creio que seja interessante andar por MP sem um guia. Pagamos PEN 20, US$ 5 por um guia com mais 10 pessoas. Foi muito bom.
Hotel em Águas Calientes: Hs Ollantay Inn – Calle Huacanacaure, 103. Fone: 984-397476
Ficamos nesse hostal apenas uma noite na nossa visita a Machu Pichu. Ficamos em um quarto matrimonial com uma cama de casal e uma de solteiro. Banheiro privativo. O hostal forneceu papel higiênico e toalhas. Não tem café da manhã e não é necessário porque os hospedes tem que sair muito cedo para pegar a van para MP. Wifi muito fraco que só pega perto da escadaria, fora do quarto no quarto andar. Quarto com piso de azulejo, banheiro limpo, chuveiro bom com água quente. TV a cabo com canais internacionais. Não encontramos porteiro por duas vezes. O atendimento foi cordial. Barulho habitual dos hóspedes acordando cedo para ir para MP. Pagamos PEN 60 / US$ 18.


Van de Cusco para Ollantaytambo: PEN 10, US$ 2.5 (só ida, volta mesmo valor)
Trem de Ollantaytambo para Águas Calientes: US$ 123 (cada, ida e volta) com direito a um café ou um drinque e um petisco e duração de 01h40min.
Ônibus de Águas Calientes para MP: US$ 24 (cada ida e volta)

Valle Sagrado: Pisac, Ollantaytambo, Urubamba e Chichero
Pegamos um tour de um dia inteiro para fazer Pisac, Ollantaytambo e Chichero. Saímos às 09h30min e fomos para Pisac, depois ao mercado de Pisac. O tour parou para o almoço em Urubamba em algum lugar mais caro que o habitual e que alguns reclamaram que era ruim. Mas tinha espaço fora do restaurante para tomar nosso lanche e tinha banheiro. Na parte da tarde fomos para Ollantaytambo e no final do dia, já escuro, chegamos a Chichero. Depois passamos em uma loja para assistir a demonstração de tingimento e de confecção de produtos de lã. Todos os lugares visitados são históricos e lindos, vale a visita e faz parte de ir para o Peru. Não gostamos da passagem pelo mercado de Pisac que foi muito rápida e o mercado é muito bom e de chegar a Chichero muito a noite e cansados.
Fomos com Grupo Peru E.I.R.L.
Portal Comercio 129, Plaza de Armas, 984-510114
pexpeditions@hotmail.com
tratamos com o Carlos e pagamos PEN 25 cada, US$ 7.5.
Esse dia compramos o boleto turístico para entrar nos sites históricos, compramos o boleto parcial circuito 3. Pagamos PEN 70, US$ 20. Aqui mais informações www.essemundoenosso.com.br/boleto-turistico-de-cusco/

Valle Sagrado: Salineras de Maras, Moray, Chichero
Outro tour de um dia inteiro. Primeira parada em Chichero (reprise do dia anterior) e depois as Salineras de Mara. É imperdível. O lugar é maravilhoso, surpreendente e com as melhores oportunidades de fotos (e compras) do passeio. Muito calor. Nós achamos essa passagem muito rápida. É sua chance de comprar os sais de Mara (todos os outros lugares foram mais caros). Mais alguns minutos e chegamos a Moray que é menor e mais fresco. Vale dizer que as Salinas são uma vista e tanto. É um lugar pequeno, mas cheio de oportunidade de fotos, muito diferente e muito original.
Fomos com Grupo Peru E.I.R.L.
Portal Comercio 129, Plaza de Armas, 984-510114
pexpeditions@hotmail.com
tratamos com o Carlos e pagamos PEN 25 cada, US$ 7.5.
Entrada em Maras (tem que ser pago lá e em dinheiro): PEN 10, US$ 2.5

Montanhas Coloradas
Caminhada duríssima, mas magnifica. Primeiro devo dizer que esse não é um passeio para pessoas despreparadas e que não gostem de caminhada e esforço físico. É uma caminhada em alta altitude, na terra, na grama e no barro e no frio.
Esse é um passeio novo que foi descoberto a cerca de um ano e, no entanto já está bem estruturado. Saímos às 04h20min da manhã porque as montanhas ficam longe de Cusco (cerca de três horas), paramos no caminho, em Quesoyony, para um café da manhã com pão, ovos, manteiga, geleia, chá e café com leite. O local do café da manhã é bem rústico, mas tem um banheiro (bem simples). De volta ao micro-ônibus, mais algum tempo e chegamos ao início da caminhada em Vinicunca. Antes de começar a caminhada também tem banheiro (sem papel higiênico e sem porta) e no meio da caminhada também. Depois de sete horas para chegar até o topo e voltar até as vans,  partimos para parar novamente para o almoço no mesmo local do café da manhã lá pelas 16:00. Almoço com comida típica, simples e gostosa. Fomos com apenas um guia que leva tubos de oxigênio e álcool com eucalipto para facilitar sua caminhada. Mas se você quiser mais comodidade e mais facilidade vá de cavalo. No local e nas agências existe essa opção. Vale a pena. Eu fiz metade do percurso a cavalo ou não teria chegado (sou maratonista).
Pros: toda a caminhada é lindíssima e a montanha é indescritível. Você caminha rodeado de montanhas altas, glaciais e outras montanhas coloridas e vai vendo e sentido a natureza em todo seu vigor. Também tem animais tipo lhama e alpaca. Chegar ao topo da montanha foi uma das melhores coisas da minha vida. Paisagem lindíssima, fotos excepcionais. Inacreditável. Até Machu Picchu ficou ofuscada depois dessa.
Cons: a caminhada é duríssima, você sente falta de ar já logo no começo do trajeto e tem aquela sensação de que não vai aguentar. Afinal a montanha está a 5.200 metros do nível do mar. O coração dispara e o ar falta. Os guias ajudam, mas o corpo não. Alguns desistiram no caminho.
Convém ir vestido para neve e frio. Fui com roupa térmica, casaco, luvas e gorro. Leve folhas de coca ou alguma pastilha contra os males da altitude. Leve papel higiênico e gel, água e abrigo de chuva. Fique alguns dias em Cusco para se adaptar a altitude. Verifique se a entrada no parque já está incluída no valor do tour e se seu guia terá oxigênio para as eventualidades.
Fomos com Grupo Peru E.I.R.L.
Portal Comercio 129, Plaza de Armas, 984-510114
pexpeditions@hotmail.com
tratamos com o Carlos
Pagamos PEN 90, US$ 21.50
No local, cavalo PEN 70, US$ 20
Tudo perfeito e bem organizado.

Convento de Santo Domingo – Qorikancha
Se tiver tempo é imperdível. O museu é lindo, tem um pátio muito bonito e ensolarado. Todas as informações turísticas necessárias estão nos folhetos e ao lado de cada atração. Não é necessário guia apesar de acreditarmos que um guia adicionaria mais informações. Vá disposto a gastar algumas horas. Leve água e um lanche. Leve também uma jaqueta leve porque tem um vento frio nos jardins. A arquitetura é muito diferente e bonita. O templo foi construído em cima do Templo Maior Inca, tem estilo barroco e ainda conserva o antigo templo do Império Inca chamado de Qorikancha (recinto de ouro). São 23 pontos de visita e entre eles a fonte cerimonial inca e o Templo de Santo Domingo. Apenas os jardins já são suficientes para gastar horas e deslumbrar-se.
Pagamos PEN 15, US$ 9. Creio que o guia nos pediu PEN 20 cada um.

Movimentar-se na cidade
A pé. Tudo é perto, tudo é perto da Plaza de Armas.

Dicas
– Cusco merece vários dias porque é daqui que saem vários passeios. Você vai ter que contar de 2 a 3 dias para ir a Machu Picchu. Se você quiser ir por sua conta tem que contabilizar três dias. Um apenas para comprar as passagens.
– Machu Picchu foi a parte mais cara da viagem. É a atração mais famosa do Peru e eles sabem. Cobram muito por isso. Nada será tão caro depois então pode gastar aqui.
– Faça o Free Walking Tour. Procure pelos meninos certos: os da jaqueta vermelha. NÃO faça esse:

– a Catedral de Cusco cobra para entrar, mas se você for à missa às 7:00 da manhã é grátis.
– para todos os passeios, compre suas merendas, coca e água em Cusco. Tem por todos os lugares turísticos, mas no Mercado São Pedro ou nos supermercados de Cusco é tudo mais barato. E você já vai ter que pagar banheiro em todos os passeios, leve a comida.
– Não é necessário fazer o Sacsayhuaman com agência de turismo. Tem ônibus de linha que saem da cidade e vão até o Cristo Blanco. Custa PEN .70 / US$ .20. O ônibus passa em frente ao Mercado de Rosaspata. Você desce no Cristo, vê o local, caminha até Sacsayhuaman (não pagamos para entrar) que é possível ver muito bem de fora (lembre-se, você verá coisas magníficas pela viagem, esse é só mais um), é possível tirar fotos lindas e depois pode ir descendo a pé para Cusco e no caminho vai ver inúmeras lojas de artesanato e ruas bonitas.
– Para ver as atrações de Cusco e do Valle Sagrado (sul e norte) é melhor comprar o boleto turístico que é vendido no iPeru. Planeje fazer sul num dia e norte no dia seguinte (ou vice e versa) porque o boleto só vale por dois dias. Custa PEN 70, US$ 20.
– para os dois passeios do Valle Sagrado levem muito protetor solar, uma jaqueta leve, muita água e seu próprio lanche se você não é adepto de ficar pagando preços turísticos.
– em Cusco tem um supermercado chamado Oriom muito bom e barato. Tem empanadas deliciosas.
– em Águas Calientes existe um supermercado chamado Condoritos que tem preços melhores, mas fecha antes das 18:00
– comemos empanadas deliciosas e baratas com bolo na Panificadora e Pasteleria FVP na Calle Cruz Verde, 383, perto do Mercado em Cusco
– trocamos nossos dólares na “La casa del Euro” na Av. El Sol, 290. Tem outras casas de câmbio perto e são as melhores cotações da cidade.

Puno
Puno é uma cidade pequena, de uma rua só, com poucos atrativos além do maravilhoso Lago Titicaca, o lago mais alto do mundo, e das Ilhas Uros (aquelas feitas de palha em cima do lago). Como todas as cidades do Peru (e da América espanhola) tem uma Plaza de Armas que é o centro da cidade. Dali parte uma rua turística cheia de restaurantes, agências de turismo e hotéis. A cinco quarteirões da Plaza de Armas fica o Mercado Central e a uns 12 quarteirões fica o porto de onde saem os barcos para os passeios nas ilhas.

Como chegamos
Vindos de Cusco de ônibus pela Cruz del Sur (uma das melhores empresas de ônibus do sul). Pagamos PEN 60 cada, US$ 18. Eles têm um terminal separado com café, banheiro e wifi. Revistam todas as bagagens. Faça sua bagagem como se fosse para avião. Viagem tranquila com paisagens lindas. Fornece manta, lanche e tem rodo moça. Em Cusco pagamos do centro até a rodoviária PEN 5, US$ 1.5. Na chegada a Puno pagamos o táxi PEN 4 , US$ 1.2 da rodoviária até o centro.

Como saímos
Em um tour para Arequipa passando pelo Cânion de Colca. Compramos em Puno e pagamos PEN 132.50, US$ 40 cada um. Esse tour incluiu toda a viagem até Arequipa com guia, uma noite em Chivay com café da manhã, o passeio pelo Cânion e depois uma nova parada em Chivay para almoço (por nossa conta). Achamos que valia o preço e a tranquilidade. Chegamos a Arequipa à tardinha. Saimos às 6:10 da manhã de Puno e chegamos a Chivay às 13:00. Saímos as 6:30 da manhã do dia seguinte de Chivay, fomos ao Colca e chegamos a Arequipa à tardinha (às 16:00).

Hotel
Hotel em Chivay: Hostal Colca Wasi, colcawasi@hotmail.com.
Hotel pequeno, mas muito bem atendido e arrumado. O proprietário Inácio mora no local e é quem atende. Café da manhã simples com café, leite, pão, margarina e geleia. Deixou-nos usar a cozinha do hotel para fazer o jantar. Água quente, wifi lento, quarto bom, limpo e forneceram sabonetes e toalhas. Quarto 202

Hotel em Puno: Hostal Vylena
Jiron Ayacucho, 503, Puno
Esse hostal tem muito boa localização, a uma quadra da Plaza de Armas, e excelente recepção. Ficamos três noites no hostal. Enquanto fomos visitar as ilhas eles guardaram nossas bagagens sem custo. O quarto é bom com cama muito boa, armário, mesa pequena e uma cadeira. Chuveiro com água quente e pia com água quente (raro no Peru para esse nível de hospedagem). TV a cabo com canais internacionais, wifi razoável. Fornecem toalhas, sabonetes e papel higiênico. Durante a alta temporada servem café da manhã. Na baixa temporada permitiram que usássemos o restaurante e as facilidades (geladeira e micro-ondas). A recepção nos ajudou com todo tipo de informação e arranjos para passeios. Pagamos PEN 60 / US$ 18 por quarto de casal com banheiro. Baixa temporada. Limpo, tranquilo, bom atendimento. Recomendo. Ficamos no quarto 203, voltado para a rua, mas bem tranquilo


Passeios

Ilhas de Uros, Taquile e Amantani
Fizemos uma excursão de dois dias e uma noite que incluiu as Ilhas de Uros, um meio dia e a noite em Taquile num home stay e uma passagem por Amantani para conhecer. As ilhas de Uros são graciosas, interessantes e muito exóticas. Quando chegamos somos bem recebidos pelos locais, o método de construção e montagem das ilhas é demonstrado. Também nos mostram o interior das casas, como cozinham como a palha é manuseada e também é possível fazer um passeio em um daqueles barcos feitos de palha por PEN 10, US$ 3. É muito diferente, mas é extremamente turístico. Eles tentam de todas as formas vender seus artesanatos, vender uma foto com você, as crianças pedem dinheiro e os adultos são insistentes nas vendas. Tudo é feito para que você deixe algum dinheiro na ilha e fica desagradável. Difícil ficar a vontade, mas tem que ser visto porque é a coisa mais turística do lago. Depois da passagem por Uros fomos para Amantani. Ficamos com uma família, mas só conhecemos a dona da casa e seu filho. Ela serviu o almoço no nosso quarto que era composto de sopa de legumes, quatro batatas e um ovo com chá de hortelã. Saímos a tarde para caminhar pela ilha das 4 p.m. as 7 p.m. Voltamos no escuro. Leve lanterna. A noite ela nos mostrou algumas roupas típicas que poderíamos vestir para ir a uma festa da aldeia. Deu-nos jantar no nosso quarto de sopa de macarrão com água, arroz com batata e cenoura. Tudo turístico, tudo muito desagradável e ainda tivemos que pagar pelos músicos. Nossa experiência não foi boa. O filho ficava pedindo presentes o tempo todo e entrava no nosso quarto para mexer nas coisas. No dia seguinte ela nos levou até o porto e pediram dinheiro novamente. As 08h00min saímos para Taquile uma ilha que não tem nada. A volta foram três horas de barco pelo lago. Recomendo ir até Uros e só. O resto é completamente dispensável e inútil.
Fomos num passeio pela Titikaka World Travel
Av. Titicaca 417, titikakaworldtravel@hotmail.com
Pagamos ao todo PEN 90, US$ 26 cada um.

Sillustani
A excursão a Sillustani é de meio período, não é muito divulgado porque concorre com as ilhas de Uros mas vale a visita. Se não for pelas chullpas (tumbas em forma de torres de até 12m de altura de um cemitério pré-incaico) então pelo lago Umayo que descansa ali tranquilamente e é maravilhoso. É um passeio tranquilo, pouca caminhada e pouco esforço apesar da altitude. Começa no estacionamento, uma leve subida ladeada por barracas onde vendem artesanatos, água e comida e então você começa a ver as chullpas e esquece-se do resto. As chullpas são magníficas, são estruturas que guardavam os restos de grupos familiares da nobreza completos. Apesar de muitos dos túmulos terem sido dinamitados por ladrões de túmulos e alguns terem ficado inacabados o conjunto é grandioso. Tem também algumas conotações místicas que o guia explica. Um guia é muito recomendado. Nosso guia foi excelente e adicionou muito ao passeio.
Fomos pela Andino Tours, pagamos PEN 30 / US$ 18 com tudo incluído (transporte, entrada, guia). No local tem banheiros pagos (PEN 1) e alguns locais vendendo bebidas e comidas. Saímos às 2 p.m. e voltamos ao entardecer. No caminho de volta paramos em uma casa local onde nos demonstraram as comidas / grãos / utilização de alguns itens peruanos de alimentação. Excelente.
Recomendo muito, as fotos ficam lindas e a história é grandiosa.

De Puno a Arequipa
Já que tínhamos que ir de Puno a Arequipa, porque não fazer todo o passeio turístico? Valeu a pena. O caminho é lindo, lembra muito o Chile. Vimos as Lagunillas, Patahuasi e o Pampa Canahuas de onde se avista o Misti (o vulcão que domina a vista em Arequipa) e mais alguns outros vulcões famosos. Por todo o trajeto fomos vendo vicunhas, guanacos, lhamas e alpacas. Ao meio dia chegamos a Chivay, que é uma cidade minúscula e graciosa, e que tem um mercado muito bom. No dia seguinte sair logo cedo para o Canion del Colca. Voltar a Chivay, almoçar e sair para Arequipa. Lindas paisagens.

Canion del Colca
Visitar o Canion é um risco. Partindo de Puno ou de Arequipa a viagem é longa e cansativa. Chegar a Chivay, que é a base de todos os passeios, é encantador (curvas e mais curvas na montanha) mas muito demorado. A finalidade de ir até o canion é ver os condores que são as maiores aves de rapina do mundo. Para isso é necessário dormir em Chivay porque os condores saem cedo e o horário para vê-los impossibilita ir direto de qualquer uma das cidades. O trajeto de Puno até lá é bonito e cheio de animais do altiplano andino, mas se o condor não aparecer fica meio sem graça. Apesar de dizerem que o canion é a terceira atração mais visitada do Peru e que ele é um dos mais profundos do mundo (inclusive duas vezes mais profundo que o Grand Canyon) não é possível perceber nada disso. Ao chegar ao canion existem dois mirantes de pedras onde você fica esperando o voo dos condores. A vista é bonita. O passeio também, mas você tem que saber que pode não ver nenhuma ave. Felizmente os vimos e é encantador. Pagamos PEN 40, US$ 11.50 apenas para entrar no canion. Tarifa para sulamericanos. No local tem vários nativos vendendo artesanato e não tem banheiro. Leve água e lanche.

Dicas
– domingo tem missa na Catedral com música
– o mercado central é muito bom com preço bons e perto dele tem um supermercado Plaza Vea que tem os melhores preços

Arequipa
É a segunda cidade mais populosa do Peru, conhecida como “a cidade branca” e é o lugar para ver o vulcão Misti com cerca de 5820 metros de altitude. Tem muitas construções coloniais de uma pedra chama “sillar” que é branquíssima dai o apelido da cidade. Ao fundo se veem os picos nevados dos Andes o os vulcões. A Plaza de Armas é muito bonita, considerada a mais bela do Peru, mas a cidade não tem nada mais além disso. Na verdade é mais uma parada entre o Canion de Colca e Nazca. Tem também, como principal atração, o Monastério de Santa Catalina, de 20 mil m², é como se fosse uma cidade dentro de uma cidade, com fontes e ruas de pedra e cuja entrada nos pareceu um pouco salgada. Não fomos. < /p>

Como chegamos
Em um tour para Arequipa passando pelo Cânion de Colca. Compramos em Puno e pagamos PEN 132.50, US$ 40 cada um. Esse tour incluiu toda a viagem até Arequipa com guia, uma noite em Chivay com café da manhã, o passeio pelo Cânion e depois uma nova parada em Chivay para almoço (por nossa conta). Achamos que valia o preço e a tranquilidade. Saimos às 6:10 da manhã de Puno e chegamos a Chivay às 13:00. Saímos às 6:30 da manhã do dia seguinte de Chivay, fomos ao Colca e chegamos a Arequipa à tardinha (às 16:00).

Como saimos
De Arequipa para Nazca de ônibus da Cruz del Sur. Como a viagem ia ser a noite e a estrada muito cheia de curvas decidimos ir de ônibus leito e por isso pagamos mais caro: PEN 120, US$ 36 cada. O ônibus tinha travesseiros, manta e jantar. O táxi do centro de Arequipa até o terminal terrestre foi PEN 8, US$ 2.40. Para embarcar no terminal terrestre tivemos que pagar uma taxa de PEN 3, US$ .8 cada. A rodoviária de Nazca fica no centro. Não precisamos de táxi.

Hotel
Peru Arequipa Home Sweet Home Hotel
http://www.homesweethome-peru.com/
Hotel um pouco distante do centro, uns 10 minutos de caminhada da Plaza de Armas, mas muito tranquilo, numa área tranquila e segura e com atendimento excelente. Ficamos em um quarto com banheiro com uma cama de casal e uma cama de solteiro, mesa, cadeira, TV a cabo, wifi um pouco fraco no quarto (quarto 12) e decorado com bom gosto. Banheiro pequeno e um pouco escuro, mas com água quente. Tudo limpo. Forneceram toalhas e papel higiênico. Apreciamos muito as áreas comuns do hotel: cozinha equipada, terraço, e jardim. Fizemos algumas refeições no terraço com vista para o vulcão Misty. Ficamos três dias, pagamos PEN 50 (baixa temporada) / US$ 15 sem café da manhã por dia. Café da manha por PEN 5 / US$ 1.5. O serviço de lavanderia custou PEN 4 / US$ 1.5 por quilo de roupa.
O atendimento pelo pessoal de recepção foi excelente. Ajudaram-nos com as passagens para a próxima viagem, com informações sobre táxi, cidade, etc. Tudo sem qualquer custo e com muita atenção. Da Plaza de Armas até o hotel você passa por panificadoras e restaurantes de bom preço. Uma das melhores hospedagens que tivemos no Peru.

Anúncios

Um comentário sobre “Informações práticas – Peru

  1. Colleen

    So quieren venir a visitarnos en Canada o Bermudas seria un gran placer parade nosotros teneros como nuestros huespedes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s